segunda-feira, setembro 06, 2010

Tarde cinza, e o fim da vida.



Se por muito esperamos aprendemos a não nos mexer, 
aprendemos que o fim da vida pode ser numa tarde cinza de inverno, num banco  da praça, ao lado da pessoa que você sempre julgou o amor sua vida, mas que nos últimos cinco anos já não tem mais tanta graça assim.
Se por muito esperamos acabamos percebendo que o tempo passou e não nos mexemos,
isso faz com que não tenhamos vivido, não tenhamos histórias pra contar.
O isolamento mesmo sendo agradável às vezes, quase sempre aborrece...não quero ser ilha, quero ser ponte.
E quero que naquela tarde cinza de inverno aquele amor da minha vida seja mais forte que nunca e estejamos de mãos dadas na hora da morte.
fim,

Nenhum comentário:

Postar um comentário