sábado, setembro 04, 2010

A tristeza é seu vício.


Ela cresceu e percebeu que precisava ser "livre",
e a liberdade veio...com a liberdade o auto-aprisionamento.
Ela não conseguia expandir seus horizontes,
ela queria viver e sair, mas algo a mantinha presa...
o amor talvez...
Ela não sabia, mas era cativa e daquelas bem conformadas.

Não havia como sair...ou talvez ouvesse...
ela tentou mais uma vez e conseguiu.
Ao seu redor todos percebiam a vida que agora corria em seus olhos,
e se comportavam como se a desconhecessem...ela não havia mudado, ela só não tinha tanto medo de ser feliz quanto antes.

Enquanto ela era uma "boa menina" tinha todos os elogios, hoje, ela já não é mais uma "boa influência", mas mesmo assim ela continua e não vai parar até realizar-se por completo.

Ela descobriu que a tristeza é como um vício, e que às vezes, no auge da felicidade algo lhe arrebata direto a crises de abstinência, confusas e extremamente fortes.
e ela não queria continuar assim...e ela está aos poucos se libertando do vício que a mantinha cega, surda , muda e temerosa durante todos esses dias de sua vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário