domingo, outubro 31, 2010

rui.

Eu rui, achei que não fosse de cristal, mas eu sou, frágil demais, fraca demais, quebrei.
Não posso colar, não há o que me reuna, agora, inútil, nada  muda e inerte estarei.
Não tinha motivos pra quebrar, não tinha, não tenho, o que me quebrou foi o vento, frio, sombrio, triste, invisível,
assim como a proteção que me envolvia, invisível.



fim.

Queime'

Se tu pudesse entender que meu problema não é amor!
Talvez seja, quem sabe é falta de amor, ou então o excesso dele.
Quem sabe eu esteja procurando soluções erradas para os meus problemas, eu fico procurando no silêncio e na solidão, ultimamente  as únicas coisas que me animam, as únicas coisas que me levam a refletir sobre mim e sobre a vida, e sobre meus desejos e sonhos e planos,
fico sempre parada em algum lugar, em silêncio, sentindo a brisa, esperando que alguém sente ao meu lado e me diga "vamos sair daqui, ta muito escuro tu não acha?", mas ninguém diz, ninguém me oferece a mão, ninguém me oferece ajuda, ninguém oferece uma saida.
Antes me empurram pelo precipicio, antes querem me usar como escada, antes não olham se trago ou não lágrimas nos olhos.
Eu acreditei um dia na possibilidade de ainda existir bondade nos corações, alegria nos sorrisos, sinceridade nas conversas e liberdade nos abraços, mas vejo que não é assim.



e deixo claro, que enquanto em mim doer será doce a muitos olhos, mas quando a dor passar que suas pupilas queimem, e sejam a chama que iluminará o meu caminho.



fim.

sábado, outubro 30, 2010

Um Viva aos Seletivos.

Nada disponível para pessoas fúteis de sentimentos falsos, nada disponível para  mentiras, nada disponível para insensibilidade, nada disponível para você, nada disponível para nada.
Talvez por haver disponibilidade demais, isso faz com que falte, na sobra há possibilidade de escolha e eu escolho o não.
O NÃO a certo tipos de amigos, a certos tipos de amores, escolho o não e o preservarei, isso faz-me então feliz, por poder escolher.
E um Viva aos SELETIVOS, e viva aos INDISPONÍVEIS, viva!!

Beijos, passe mais tarde.

Na linha.

A partir de hoje não quero mais me importar com ninguém, quero continuar assim, invisível, visibilidade não muda vida de ninguém, quero continuar anônima, sem destino, sem grandes planos, sem grandes construções...tenho medo que tudo desabe.
Prefiro continuar na linha, esperando o meu trem chegar, estaja eu dentro dele, ou debaixo dele, não fará muita diferença nesse momento, eu só não vou mais me importar.
Não me importo com a minha dor, não me importo com dor alguma, aliás, talvez eu tenha culpa, por tudo, sim, sim, tudo isso é minha culpa.
E o trem já vem, me deito na linha e espero que ele faça o que tem de fazer.

Famintos.

São olhos diferentes, olhos sedentos, famintos para ser exatos, os olhos de todos eles.
De todas as cores e modos apenas tem fome, fome de algo que eu desconheço, presos a luxúria, sim, são a pura expressão da mesma, trazem neles a estampa do desejo o tempo inteiro, para todos os lados, sem alternativa.
Ainda trazem com eles a dor que mostram em cada gesto, a revolta com ou sem motivo, não sei.
Inexpressivos, de tanta expressão, chegam a causar medo pelo excesso de silêncio ou pela falta dele, medo, sim, é isso, medo.

Neles falta algo, talvez seja amor que os falte, ou talvez só os falte atenção, no fundo desses olhos cheios de fome.
Ainda neles tento encontrar luz, mas parece que o sol não mais os alcança, tanta vida ainda, tanta coisa pela frente, tantos sonhos, sempre muito.


E nada pra saciar, nada parece ser suficiente.
Alguém sabe o que há?

sexta-feira, outubro 29, 2010

:*

" E que ele te ame com toda a intensidade."
Antes ouvesse amor, mesmo que haja, não é o tipo certo de amor, sabe?
Ela já havia dado todos os sinais e desistiu da luta, ficou claro que nada aconteceria ali se não uma linda amizade, amizade é amor, não é?
Então ele a amaria de um jeito ou de outro, não do mesmo modo que ela, mas seria amor e eles seriam felizes, amigos.
Mas no fundo, no fundo, ela queria uma conversa construtiva em uma calçada qualquer, depois andar por qualquer lugar, nem precisavam dar as mãos e na hora da despedida, acompanhada pelo pôr-do-sol, que um beijo viesse a selar a saudade, selar a ânsia e por fim acalmar o seu coração.

segunda-feira, outubro 25, 2010

ah'

Eu quero você,
quero poder ocupar todo esse vazio,
quero que você confie em mim, quero que você me queira,
eu me preocupo com o que você sente, sim, eu me preocupo.

Eu te desejo, não é por nada, até porque o que você tem demais?
Mas é como dizem por ai, o amor não escolhe muito e o meu parou quando te encontrei,
tão lindo, tão sereno, a paz que eu quero ter.

E mesmo que eu dê mil voltas, e me apaixone mil vezes, meu desejo sempre será você.
Ele estava lá, tudo que eu queria, bem na minha frente.
Ele me sorria, ah, aqueles olhos, fixos em mim e eu fingindo não entender,
aquele ar de quem sabe tudo ia sumindo, era mais eu, seu abraço, suas mãos.

É, eu realmente não sei o que tu sentes, mas sei o que eu sinto, e é infinito enquanto durar.

sábado, outubro 23, 2010

Daniel.

 

Desejos cegos, falhos, anseios falsos. Acho que só você não vê que seu mundo é de mentiras, claro que eu gosto quando você está por perto e olhando para o céu com jeito de idiota, ou então quando simplesmente passa por mim, quando me olha meio de banda, ah, mas eu quero com todas as minhas forças que você morra,
e que de preferência seja uma morte dolorosa, eu quero que uma carreta de umas 200 toneladas te atropele! No meio de uma BR se for possível.!
     Ainda assim eu não estaria satisfeita, não estaria livre de você, porque apesar de toda escuridão que tem ai, de toda a dor que tu me causa eu ainda espero que você apareça na escola na segunda de manhã, que você solte meu cabelo quando eu acabar de prender, eu ainda espero que você me ligue pra chorar dores de outros amores, espero sim que  você não pense duas vezes antes de agir.
    Mas não vou sossegar até que você morra! Você tem que pagar pela dor que me causa, vou te deixar sair da minha vida assim? impune? nunca! ninguém nunca me causou dor e ficou impune assim, ah, você é mesmo um idiota, mas é inevitável, eu te amo Daniel.

sábado, outubro 16, 2010

Deus te ama.

Depois de dois copos de Whisky  ela ainda estava sóbria, foi então em busca de algo mais forte, algo que a entorpecesse, que a fizesse de uma vez  por todas perder os sentidos, ela não queria morrer, ela só queria esquecer, esquecer as mágoas que o amor causara, ela só queria ficar mais calma e parar de pensar naquele cara que esmagou todas as projeções que ela havia feito para sua vida.
Tentou Vodka, depois começou a fumar, um cigarro de maconha por noite, era tudo que ela precisava pra se manter distante dele, e depois passaram a ser dois, três, seis cigarros por noite já não eram mais suficientes, não era aquilo que ela queria, não era aquele caminho que ela deveria seguir, mas não era a toa, ele a ligava algumas vezes em um mês, era o suficiente pra que ela se prometesse parar, mas ela só parava até perceber que ele não ligaria outra vez, que ele não se importava tanto assim com ela e tudo isso era apenas mais uma ponte para sua auto-destruição.
Ela já não tinha mais fé, não suportava mais nada, até conhecê-lo, sim, até conhecer um alguém especial que supria todas as suas carências, que preenchia por fim o vazio que tanto lhe aflingia, e depois dele ela nunca mais foi a mesma, ela estava livre de tudo que a acorrentava antes, ela agora é feliz e faz questão que todos o conheçam, sim, ela conheceu a Deus, e ele te espera como a esperava.
Deus te ama!

.

Eu não me entendo, eu não te entendo, ótimo.
Eu sei que você tem plena consciência dos meus sentimentos e que está brincando comigo, eu sei também que estou seguindo o caminho do teu jogo, do jeitinho que tu planejou, eu sei ainda mais que não é do mesmo jeito pra você, sei que nunca vai ser igual, sei que eu sempre vou te amar mais.
Sinceramente espero que ao ler você entenda do que eu falo, espero que você se compadeça da minha urgência, eu prometi não ter medo, não desistir e eu tô tentando cumprir minha promessa.
E tu? Tu nunca me prometes nada, me olhas assim com esse ar de segurança, por fora és frio, não sei se é ilusão de menina apaixonada, mas vejo fogo nos teus olhos, o modo que me olhas, é, deve mesmo ser ilusão, mas é assim...quando você souber o que sente, por quem sente, me avise se for por mim, eu vou te esperar sempre, eu deixo tudo e todos, é só você dizer que sim e eu sei que vai valer a pena, nem que seja por um mês, vai valer a pena.
Eu só quero que você note que eu já me decidi e minha decisão é por você, minha opção é ficar do teu lado, pode ser que eu me case com um outro cara que me ama, assim como eu te amo, mas em algum momento eu vou lembrar de você, aliás, ultimamente tenho lembrado de você mais que de costume.
Ultimente eu tenho esperado que você lembre de mim, eu tenho esperado que você sinta minha falta, eu tenho esperado que você lembre que apesar de tudo só eu te amo desse jeito, pode existir alguém que te ame mais, ou que te ame menos, mas assim, do jeito que eu te amo, só eu!
Quero com todas as minhas forças que você me ame, nunca quis tanto, e o pior é que pelo que me parece só eu consigo te aceitar assim, no teu silêncio, não um silêncio comum, mas teu silêncio frio, silêncio que dá medo, mas eu não tenho medo.
Não vejo graça nenhuma em ficar escrevendo sobre amor, mas desde que me reaproximei de você é só nisso que penso, só em amor, só em você, eu sei que eu sou fraca mas é disso que eu preciso, algo pra acreditar.
Ah, claro, eu nunca vou ser boa o suficiente, mas você é importante pra mim e sabe bem disso, mesmo que eu não seja pra você.
E no fim, quando você resolver assumir seus medos, suas fraquezas e me olhar nos olhos sem evitar eu vou saber que estás pronto, e tu terás meus braços, meu abraço e a intensidade do que eu sinto sem mais, nem menos, só o que precisas e talvez assim, só pelo necessário tudo funcione do jeito certo.
Eu quero que quando todos te procurarem por perto alguém pare e diga que pra ter sumido você provavelmente está comigo, eu quero que meu perfume seja o teu preferido, eu quero que você odeie as bandas que eu ouço, mas lembre de mim sempre que as ouvir por acaso em algum lugar, quero que sua pupila dilate quando te perguntarem de mim e que duas palavras bastem pra explicar o que eu sou pra você, "meu amor".
Se você então puder notar, puder ver, puder entender e se achar que vale a pena, eu vou estar aqui.
Depois de noites de insônia, depois de horas perdidas com o pensamento longe, eu vou estar aqui, eu vou te esperar, eu vou te querer, te cuidar como sempre, e vai ser infinito enquanto tempo houver.

Porque apesar de tudo, minha fraqueza me impede de te esquecer.

sexta-feira, outubro 15, 2010

Não gosto de flores

   
Nunca gostei de flores, parece estranho, não é?
Mas eu realmente não gosto, talvez por nunca ter  recebido se quer um ramo delas, de nenhum tipo, de ninguém, em nenhum momento, claro que nunca esperei e isso é até atípico, todas as garotas esperam receber de alguém, um dia um ramalhete de flores, orquídeas, margarida, essas mais comuns que todos os namorados dão em datas significativas, e só isso elas recebem, é como se aquelas flores viessem suprir carências, e é por isso que eu não gosto de flores, assim como os sentimentos elas murcham, é, murcham.
Eu não gosto de flores, mas ainda assim as tenho por perto, não as que murcham e morrem, mas sim as de plástico, artificiais, falsas como meus amores, realmente eu sei, as flores de plástico nunca morrem.
E talvez por isso eu não goste tanto assim de flores, ou talvez eu vá morrer odiando-as mais ainda.
Afaste-as de mim, eu não gosto de flores.

terça-feira, outubro 12, 2010

colorir.


Eu me criei vazia e fria, nada aqui nem ao redor,
claro que eu nunca gostei muito de presenças, pra mim sempre foi melhor longe também, mas não assim sumido,
é, mas eu nem gosto dele mesmo.
Mas eu quero que ele esquente e preencha, enraize, que venha colorir, curar,  mas como eu já disse, não gosto dele, só sinto saudade.
Quando eu paro e penso sobre tudo isso percebo que fico de graça nesse jogo, mas é nessas e outras que vejo vantagem em ser vazia, meu vazio intensifica amores, dores e tudo isso faz com que eu me sinta cheia, assim eu finjo não ver e não ouvir, nem sinto, nem vivo, ah, quero colorir.

segunda-feira, outubro 11, 2010

Rachel.

Meu corpo jovem pede sossego, pede colo, meu corpo não tem mais forças.
Exaustão mental, é, talvez seja efeito dos anti-depressivos que tenho tomado todas as noites antes de dormir,
só eles me fazem dormir.
Não fará muita diferença se eu disser meu nome, não é? Mas eu preciso falar de mim mesma, pelo menos até achar que isso me fez sentir melhor.
Me chamo Rachel, tenho 19 anos, jovem demais pra chegar a esse ponto, não?
Mas é assim, nesse momento não há ninguém ao meu lado, preciso urgentemente de alguém, qualquer pessoa que me abrace e diga, tudo vai ficar bem.

Eu talvez não devesse estar aqui nessa sala, sozinha, com os pés pra cima, mas eu estou e por isso vou aproveitar o máximo, de uns dias pra cá eu venho perdendo cada vez mais de mim, o que as pessoas tem?, será que eu sou louca?
Não consigo entender onde estou exatamente, eu realmente estou aqui, eu sei que estou, mas não fisicamente falando, minha alma anda por caminhos nunca antes vistos.
Não sei, não acho que seja útil desabafar, é, realmente não é.
talvez eu volte.
um beijo, espero que você receba minha carta, eu ainda te amo.

sábado, outubro 09, 2010

;X

Nessas tristes horas de solidão todos buscam alguém pra culpar, todos se culpam, todos sempre dizem que tentaram, todos sempre prometem lutar, TODOS, e depois de descumprirem suas promessas ainda dizem que fizeram o que puderam, que tentaram.

Todo mundo diz que foi por amor, que foi a única saída, todos dizem que não tiveram força suficiente pra aceitar, mas ninguém sabe que o amor tem como força a dor, o amor tudo suporta, tudo restaura, transforma.
Ninguém quer que haja o sofrimento, ninguém quer assumir problemas de ninguém, ninguém defende ninguém, ninguém se importa mais com sentimentos.

Sabe, eu só queria que as pessoas se dessem mais valor.
Só queria que entendessem que o amor não é uma emoção, que o amor não se esquece, apenas se supera, a cicatriz sempre fica, às vezes é grande, outras vezes nem tanto...
o amor ainda é importante e é por essas e outras que eu continuo a insistir que amar é lindo.
Exercite o amor, vale a pena.

sexta-feira, outubro 08, 2010

:)

Eu insisto em me preocupar com os seus sentimentos, insisto em saber por onde você anda, insisto em decifrar todos os seus sinais, todos os gestos de introspecção e me injeto ânimo nas veias, quem sabe assim funcione.
Ao contrário do que você pensa eu não estou mais aqui, mesmo estando.
Ao contrário do que você pensa mesmo não vou mais me mostrar, mesmo que você me veja, sabe meu ex- amor, eu queria muito que você tivesse mudado de ideia, que você estivesse do meu lado.
Sabe meu ex-amor, até hoje eu não me arrependi de nada que fiz por você, só não sei se você mereceu minha espera, minha atenção, meus telefonemas, não sei se você mereceu tanto espaço nos meus pensamentos durante tanto tempo.

Não acredito que tenhas devotado a mim nem um terço do carinho que te ofertei, meu tempo era inteiro seu se assim tu fosse querer, eu era inteira tua, era tudo inteiro, e tu eras meu meio, terço, quarto, ou não era,
Tu era todo pouco, sem mostrar, sem me deixar ver, assim que era.
e assim que eu digo, meu ex-amor, eu não te amo.

Tô pronta pra mais uma!

Já estava na hora de voltar a falar de sentimentos, de todos os tipos, os declarados, os fingidos,
falar de medo, de coragem, de soberba, de supremacia, falar de vida, de mim, de você, de nós.
Eu não quero que aconteça outra vez, eu não quero me enganar, já me acostumei a ser a última, a que anda atrás, a que recebe sempre as costas das pessoas, talvez por isso eu não goste de deixar ninguém pra trás.

Sentir que não é recíproco só me faz ter mais receio de tudo, cada fato, cada ato o cheiro o nó, tudo é extremamente importante e seco, não tem ar, não tem água, não tem terra, não tem braços.
Eu quero que você saiba que ainda que não esteja na hora eu ainda vou atender seu telefonema, mesmo que eu deixe de te amar (e eu deixei), ainda vou querer ser teu porto, ser aquela em que você confia, aquela que você ama, mesmo que esse seu amor não seja aquele amor.

Eu ainda vou querer te esperar nos fins de semana, mesmo que minha porta não seja teu destino, eu ainda vou achar que seus "eu te amo" são reais, eu ainda vou me forçar a acreditar que acabou o que eu sentia, que está tudo mudado, sempre vou fingir que nada aconteceu e você nunca vai saber o que eu senti, nunca, nunca.
Talvez essa transparência toda que me faça mistério, talvez minha fraqueza seja a minha real força, talvez daí você perceba que o tempo todo eu estive em suas mãos, ao seu alcance, no seu jogo, do teu lado, sendo por ti, e o tempo todo me manipulaste e brincaste de colorir e descolorir meus dias, todos os dias.
Eu não te amo, é fato.
Se você me ama não interessa, mas vou voltar ao normal, é sempre assim, machuca, machuca e machuca, depois aos poucos sara e a dor desaparece, eu camuflo a cicatriz e tô pronta pra mais uma.!