domingo, dezembro 19, 2010

Vai sair o sol.

Eu vou te amar eternamente, enquanto meu amor durar,
afinal, "o amor é como uma chuva grossa, você não vê um palmo a sua frente,
mas um dia passa."
Então acredite, eu não vou te deixar por qualquer coisa, a não ser que minha chuva passe e 
o céu me sorria azul e límpido.
Não tema meu querido, não haverá mais preocupação com você, é isso que você quer, não é?
Bem, hoje eu te amo, mas pode ser que às 00:00hs eu mude de opinião. 

domingo, dezembro 12, 2010

A garota que não olhava pra trás. I

Então ela continuou, sem muito animo, mas ela continuou seu caminho e no meio de uma curva sentiu que algo a puxava para trás, um impulso fortíssimo e uma voz que dizia, "fique."; mas era mais forte que ela, ela não conseguiria olhar aquele passado e ela corria, corria com um desespero terrível estampado no rosto, não tinha saída, ou ia ou voltava e ela ainda achava que havia algo melhor lá na frente e por lá mesmo ouviu isso por outras e outras vezes de muitas vozes e a cada vez parecia um dejavu, desespero, angústia, não sei o que se passava com ela.
 Até que, um dia quando passava numa ponte já perto do fim daquela estrada viu a sua frente todos por quem ela havia passado....eles riam-se dela, da tolice que ela havia cometido ao não reparar que eles ainda olhando o passado chegaram antes dela, eles não repetiram erros, não choraram a mesma dor duas vezes e ela via o que havia perdido então queria recuperar, queria olhar pra trás, mas ela é/era doente por dentro, tão doente que tinha medo até de ouvir a voz que gritava dentro dela e precisava de um fim melhor, precisava muito...

#continua.

sábado, dezembro 11, 2010

essa coisa.

             Era algo diferente, não era só um sentimentozinho de bar, nem uma coisinha que se sente por qualquer desconhecido, era o tipo de coisa que te faz aceitar o outro em qualquer situação, em qualquer momento, era algo que seria capaz de relevar qualquer coisa, capaz de esperar.
             Algo que faria parar e esperar um ônibus no meio do nada, pra fazer uma viagem de horas e não sentir nada além daquela ansiedade, aquele frio no estômago, aquelas borboletas, sabe?
             Era o tipo de coisa que antes e além de tudo existia, o tipo de coisa que todo mundo espera ter um dia e que não acaba, mesmo que acabe, dá pra entender?
            E como todos os tipos de coisa começam as mil maravilhas essa coisa também, mas é diferente pelo simples fato de suportar os maiores pesos e derrubar as maiores barreiras, não essas barreiras que estamos acostumados a nos impor mas as reais, é diferente por simplesmente fazer-se mais doce, fazer-se mais bela ainda que esteja tudo feio, tudo sujo, sem gosto, sem cor, e é esse tipo de coisa, esse tipo de sentimento que além de ser o mais esperado é o que realmente precisamos.
             Creio que seja só isso, e que assim, enfim, consigamos abrir nossos olhos ao que espera a todos nós, basta querermos.

  

quinta-feira, dezembro 09, 2010

A garota que não olhava pra trás.


Ela passou por grande parte do caminho cercada de gente, cercada de gargalhadas e de palavras, a maior parte do caminho estava sendo percorrida da melhor forma, era isso que ela achava até descobrir a deslealdade, as pessoas que com ela estavam uma a uma a abandonaram nas horas de luta, ninguém ligou pra saber se o cabelo dela tinha caído, aliás, acho que ninguém nem sabia do que se passava com ela e ela tentava fingir que não precisava de ninguém, ela poderia sofrer por dois milhões de motivos, mas ela sofria pelo mais justo deles, falta de amor, não que ninguém a amasse, não é isso, mas ela não amava ninguém e continuava seguindo e seguindo, nunca olhava pra trás, tinha medo de ver o passado, e ainda seguia mais e mais, corria, às vezes esbarrava em alguém mas não se desculpava e nem se voltava para os olhos dessa pessoa, ah, mas isso é culpa do medo, só o medo pode fazer as pessoas não terem coragem de amar, não terem fé, não conseguirem erguer e cabeça e olhar o passado.
Ela esperava que seguindo em frente encontraria no meio do caminho as pessoas certas, os amores certos, afinal ela não achava nenhuma das pessoas que havia encontrado importantes e achava que faltava algo, que não queria continuar daquele modo, queria que tudo se resolvesse e um príncipe a esperasse na saída do túnel para apresentá-la aos nobres de seu castelo, ela sonhava os sonhos errado, ou talvez ela não tivesse sonhos.
Ela não olhava pra trás, e ainda assim queria que tudo fosse perfeito, não tinha esperanças, não tinha tempo, ou julgava não tê-los e tudo isso não era mais culpa do medo, era culpa dela, era culpa do que ela se afligia, culpa do que ela queria dizer e não dizia, culpa das lágrimas que ela proibia de rolar, tudo isso era culpa dela não olhar para trás. 
#Continua.

quarta-feira, dezembro 08, 2010

;)

Ultimamente é moda repensar valores e prioridades,
é, eu tenho sido uma das adeptas a essa moda, vivo pensando, repensando, decidindo.

Acho que perdeu a graça essa história de ser triste, de viver deprimida, perdeu a graça essa história de amar demais e de achar a dor "legal."
Tenho certeza de que mais da metade do mundo concorda comigo, antes de repensar é necessário saber se tem-se valores,
Acredito que as pessoas precisam amadurecer fatos, amadurecer ideias, e saber que ninguém vai tão longe quanto se imagina em algumas coisas, ninguém se entrega tanto a sentimentos quanto se imagina, não quando se é um adulto.
Qual é, já ta na hora de acordar!!
Será que só eu cansei desse mundinho sem nexo que todo mundo abraça?
Eu não aguento mais e vejo que os valores que eu tenho e que aprendi são os mais certos e lógicos,
não faço mal a ninguém, eu sou até boazinha.


segunda-feira, dezembro 06, 2010

Cuidado.

Eu tinha sentimentos, eu juro que tinha.
Eu tinha amigos, sim, juro que tinha muitos amigos, ou acho que eram meus amigos pelo menos.
Eu era cheia de pudores, cheia de dores, cheia de amores, era completa, inteira, era de entrega.
O que eu sou agora?
Sou sem sentimentos, sou vazia, sou meia, às vezes menos, sou de volta, sem passividade, 
sou violenta e fria, estou pronta pra romper as barreiras dos meus bons conceitos, não vou negar que isso é fruto da dor e que eu tenho chorado todas as noites, mas isso não muda meus novos objetivos, eu quero destilar todo o veneno que havia guardado aqui, todo o veneno que injetaram em mim durante anos de silêncio, não se deixe levar pela minha voz irritante, pelas minhas atitudes idiotas, pela minha euforia desmedida ou pela minha cara de sofredora, isso tudo só camufla um monstro, um lobo na pele de um cordeiro, cuidado, eu sou mais forte do que você pensa.
Eu sou um perigo.

Me arrependo mais do que não fiz.

Me arrependo mais do que não fiz,
dos abraços que não dei, dos beijos que neguei.
Me arrependo mais do que não disse,
dos perdões que não pedi, dos amores que não verbalizei.

Me arrependo mais de não ter arriscado,
me arrependo de não ter manchado meu nome,
me arrependo de não ter gostado tanto de mim quanto você.

Me arrependo de ter recusado seu pedido de casamento,
ah, eu era muito jovem a um ano atrás[...];
me arrependo de não ter te dito tudo da maneira certa.

Me arrependo mais do que não fiz,
dos cinemas que não fui, das vezes que não bebi,
Me arrependo mais de ter dito adeus, porque quando o disse,
perdi todas as chances de tentar.

Me arrependo mais do que não fiz por ti,
por mim, me arrependo mais do que não fiz por nós.
Me arrependo de não ter estado por perto nas horas necessárias,
Me arrependo mais do que não fiz.

:*