sábado, dezembro 11, 2010

essa coisa.

             Era algo diferente, não era só um sentimentozinho de bar, nem uma coisinha que se sente por qualquer desconhecido, era o tipo de coisa que te faz aceitar o outro em qualquer situação, em qualquer momento, era algo que seria capaz de relevar qualquer coisa, capaz de esperar.
             Algo que faria parar e esperar um ônibus no meio do nada, pra fazer uma viagem de horas e não sentir nada além daquela ansiedade, aquele frio no estômago, aquelas borboletas, sabe?
             Era o tipo de coisa que antes e além de tudo existia, o tipo de coisa que todo mundo espera ter um dia e que não acaba, mesmo que acabe, dá pra entender?
            E como todos os tipos de coisa começam as mil maravilhas essa coisa também, mas é diferente pelo simples fato de suportar os maiores pesos e derrubar as maiores barreiras, não essas barreiras que estamos acostumados a nos impor mas as reais, é diferente por simplesmente fazer-se mais doce, fazer-se mais bela ainda que esteja tudo feio, tudo sujo, sem gosto, sem cor, e é esse tipo de coisa, esse tipo de sentimento que além de ser o mais esperado é o que realmente precisamos.
             Creio que seja só isso, e que assim, enfim, consigamos abrir nossos olhos ao que espera a todos nós, basta querermos.

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário