quarta-feira, novembro 30, 2011

Não eram infelizes.


Não tinham poemas, canções, sonetos, não tinham marcas na história e não guardavam muitas recordações. Não eram de se ver muito, tinham gênios muito fortes para conviver de modo pacifico por muito tempo, viviam as turras mas morriam de saudades quando estavam longe. Diferente de muitos casais comuns, eles não gostavam de vinho no jantar, eles não, ela, e por isso ficavam sempre sóbrios durante todo o tempo e cheios de consciência de tudo que fizessem.
Não tinham nada em comum, além de talvez um pouco de amor, um pouco de desejo, e assim não eram infelizes. Cada um com sua vida, seus amigos, seus afazeres e ainda assim parecia dar certo.
Não se chamavam de amor, não normalmente, e se olhasse de longe até podia se dizer que eles mal se conheciam, o que no mínimo é intrigante, tinham conversas curtas e se prologassem assuntos polêmicos sem sombra de dúvidas se desentenderiam, mas ainda assim não eram infelizes.
Ele gostava um pouco dela e ela gostava bem mais que um pouco dele, tinham aquela coisa de pele, sabe? De gostar do calor um do outro, do cheiro, do toque, do beijo, mas vocação pra dar certo eles não tinham, mas ainda assim não eram infelizes.
Ele gostava do sorriso dela e ela gostava quando ele sorria o sorriso dela, é, em alguns momentos ambos conseguiam ser extremamente ternos e ainda assim não eram infelizes.
Sempre que falo deles não deixo de afirmar que eles se amavam, só podia, mesmo que ela tivesse alguns problemas em assumir e ele sempre quisesse ser homem demais, e o mais impressionante é que mesmo sendo tão diferentes, mesmo não tendo praticamente nada em comum, mesmo as turras e ao tédio, não eram infelizes.

terça-feira, novembro 15, 2011

Esse jeito.


-É que eu sou desse jeito mesmo.
-De que jeito?
-Assim, com uma timidez meio frouxa, uma língua meio sem nós, uma cara de pau meio de plástico, uma coragem por um triz, uma sinceridade que machuca mesmo sem querer.
-E é grossa também, um bocado grossa.
-Eu sei, eu sei, não sou uma boa pessoa, falo baixo, tramo demais, quero tudo do meu jeito, quebro corações e o pior de tudo, o que me faz ser uma pessoa não muito boa, deixo que quebrem o meu coração.
-Tu tá querendo me dizer que é frágil?
-Não, não. Tô querendo te dizer que to bem protegida, que a barreira tá erguida, que eu falo baixo mas se tiver de gritar, eu grito. Tô querendo dizer também que eu acabo ficando aos pedaços sempre que machuco alguém mas que não é por isso que vou deixar que me machuquem de graça.
-Então tu quer dizer que é forte?
-Também não.
-E o que tu quer dizer?
-Eu quero dizer que eu tenho medo, apesar de tudo, que eu tenho vontade de chorar também, que eu to bem protegida sim mas que isso não quer dizer nada, eu preciso dizer que eu quero dizer várias coisas, quero dizer que não quero nada disso.
-Dá pra parar de chorar e respirar, garota? Levanta essa cabeça, bebe aqui um gole d'água.
-Sabe o que eu quero mesmo? Quero é um fim de tarde, um pôr-do-sol bem alaranjado, daqueles que te faz olhar pro céu e dizer: Deus, eu sei que você existe. E dar um sorriso desses bem largos.
Quero um começo de manhã com um bom dia cheio de energia que no lugar de me tirar a paz me acrescente. Quero um café depois do almoço, daqueles com cheiro de casa da avó e um abraço daqueles de quem sentiu saudade. Isso não deve ser querer demais.
-Isso é coisa de criança, garota.
-É, acho que é esse o meu jeito, apesar de tudo. Eu tenho é jeito de criança.
E ela deu as costas pra ele, deu um nó com as pontas do vestido entre as pernas e começou a correr, parou um pouco a distancia e o olhou, sorriu e acenou, tirou as sandálias de couro e prendeu-as no pulso, respirou fundo e continuou a correr pra algum lugar onde pudesse ser realmente criança.

terça-feira, novembro 08, 2011

Confusa


Não quero mentir pra você, não quero em hipótese alguma te ferir, nem quero que você duvide do meu amor por você, é que eu te amo, amo mesmo, porque eu te amo, mas é que não nasci pra isso, não nasci pra dizer eu te amo todas as noites, nem pra te dar carinhos e carícias.
É que eu sou fria, sou egoísta, sou do tipo de pessoa que jamais faria uma outra feliz, sou do tipo que enjoa rápido e pra mim a gente já deu; não que você não esteja me fazendo feliz...mas eu era bem mais feliz antes, antes de te jurar uma fidelidade e um carinho que eu não posso te dar, e tenho me martirizado todo o tempo em que estamos juntos pensando num modo de por um fim nisso sem machucar a nós dois, até porque não me imagino mais sem você, mas não parece ter solução.
Eu preciso realmente que você entenda que o problema sou eu, sem clichês ou frases feitas, que você é a pessoa certa na hora errada e que quem sabe no futuro a gente pudesse dar certo, eu preciso mesmo é esquecer você, sair da sua vida, vai ser mais saudável e mais feliz pra nós dois quem sabe você ame uma outra pessoa um dia (eu estou tão confusa) e espero que encontre alguém que te ame, mesmo sabendo que ninguém vai te amar como eu.
Sinceramente acho que é em mim que mais vai doer dizer o quanto tudo está sendo diferente do que eu imaginei, te dizer que não tenho vontade de você e que meu amor é puro e imaculado demais pra que nós possamos ter um futuro juntos, inocente demais pra mentir pra você mesmo que eu esconda tantas coisas às vezes, coisas como essa minha dúvida.
Mas eu não quero que você vá, eu sinceramente quero que você fique na minha vida mesmo que só observando de longe, oh céus, eu te amo, e me meti nessa sabendo que mesmo que eu queira o fim todos os meus sentidos já estão na sua mão, e não quero que a gente morra aos poucos, preciso que você lute por mim, preciso que lute por nós, porque eu não consigo mais.
Sei que não disse e nem tenho dito nada que faça sentido mas se você quiser tentar mais uma vez eu estou aqui e mesmo me contradizendo tanto, mesmo que me doa demais, você consegue entender o quanto eu estou confusa, consegue?
Já não sei mais se isso é certo, não sei, não sei.
E é isso, ou deveria ser.

sábado, outubro 15, 2011

-


Hoje me deu uma vontade tremenda de recuperar meus sonhos, sabe, aqueles sonhos que eu tinha quando criança, os que eu tive até uns meses atrás...
É que hoje eu finalmente parei e pensei no que eu tenho feito com meus antigos planos, meus sonhos, e conclui que involuntariamente, ou não, joguei-os para debaixo do tapete, larguei, esqueci, abandonei e tudo porque está na moda ser sem perspectiva. Não que eu esteja infeliz ou morrendo aos poucos de uma dor desconhecida, mas não é possível ser completamente feliz sem sonhar e o sonho pode ser qualquer um.
Pensa só, tanta gente por ai que vive lutando por uma coisa tão simples, e singular, que parece até insignificante, mas é isso que as move e as faz todos os dias levantar da cama sorridentes e cheias de esperança e fé. Fé, entendeu?
E eu tenho fé, tenho esperança, tenho até coragem de sonhar outra vez. Sim, eu tenho coragem de sonhar! E mais ainda tenho força suficiente para tornar meu sonho, seja qual for, real.

terça-feira, setembro 27, 2011

Ao meu amor.

E o que eu posso dizer além de que te amo?
Que vou te esperar sempre no meu terraço com a nuca a mostra e o perfume que você gosta?
Que vou ficar sem graça sempre que você me olhar como se me lesse?
De tudo isso você já sabe.

O que mais quer que eu diga?
Que me preocupo com seus passos e atos?
Que morro de medo de te perder?
Que me arrepio quando você fica perto demais?
Você sabe dessa parte toda também.

Eu só quero que você não vá,
que me abrace quando o frio vier,
Que me deixe alinhar minha cabeça no seu peito e ouvir teu coração bater.
quero que tenha paciência com meus pudores e minha timidez.

Sei que pode parecer piegas, melo dramático,
doce demais ou coisa de gente carente...
Mas, eu preciso de você e sempre precisei.
Você sabe muito bem disso.

Cuide sempre de mim, te amo.

terça-feira, setembro 20, 2011

De flor a flor.


Que estranho segredo orbita nos seus olhos cor de jabuticaba?
Que estranha dor marca com lágrimas o seu rosto?
Ó flor da noite, que chora na penumbra, o que te causa tormento?
Quem fere teu doce coração de menina?

Quero eu, então, que nenhuma dor te atinja, que nenhuma lágrima te cinja, que mágoa alguma te machuque. Ainda que as pétalas caiam, que as forças se esvaiam, que o medo não te prenda ou assuste.
Ó flor, forte e frágil, flor de olhos fortes, flor de sorriso farto, flor que é porto seguro para as lamentações e alegrias de uma amiga infame como eu, flor que desabrocha todos os dias um tanto mais, mais uma flor em meio a tantas outras flores; mas uma flor diferente, uma flor irmã.
Deixo então as minhas palavras, talvez sem nexo e rebuscadas, palavras sem lágrimas, palavras que, para alguém como eu, exigem uma dose extrema de sensíbilidade que muito falta às vezes, palavras de amiga, palavras de irmã.
Palavras que vão de flor a flor a dizer o real sentido da vida das flores, amar, ser amor.

Amo-a profundamente, minha irmã.
Com carinho a Jéssica Lopes.

segunda-feira, setembro 12, 2011

Sonhe.

Nem sempre que a gente sonha acontece, às vezes aquilo que a gente quer não é o melhor pra gente mas, olha, Bô, não é por isso que a gente vai deixar de sonhar. Deus só deixa a gente chegar aonde realmente temos que ir, pode ser um castelo na Europa, ou numa casinha de barro em qualquer lugar.
A gente tem que sonhar, mas tem que pedir a Deus que Ele sonhe o mesmo sonho que a gente, entendeu, Bô?
Então sonhe, viu? E não esqueça de pedir pra Deus.

sábado, setembro 03, 2011

Dá teu colo, Mãe.

Eu disse pra mãe:
-Mãe, me dá teu colo, quero tanto um carinho, tenho muito amor pra chorar.
E a mãe disse:
-Vem, filha, vem, que eu te conto como curar um coração partido.

Liberdade, Pai.

Pai, empresta a chave do carro? Eu acordei com uma vontade absurda de conhecer o mundo, sabe? Sentir aquela liberdade, dá pra entender, pai?
Depois que eu me encontrar e ver se valeu a pena ter ficado "livre" te conto por onde andei,
To indo, pai.
Prometo que volto antes da meia noite.

quinta-feira, setembro 01, 2011

Setembro


E lá se foi agosto, com o seu gosto amargo. Agosto, amargo gosto, sem gosto, desgosto, tudo passou, tudo se foi, e lá vem setembro. Setembro doce, de brisa refrescando meu coração, setembro de sol gostoso na janela, setembro que sempre ganha palavras em todos os lugares, setembro com o verão, ou seria com primavera?
Venha setembro, doce setembro, pra construir novas pontes, pra apagar as dores e os desgostos de agosto. Seja muito bem-vindo meu querido setembro.
"I love the way you are, and I don't care about anything else."



Eu tinha que acreditar no que ele me dizia, tinha sim.
Algo de verdadeiro deveria haver naquela história...é, havia o meu amor.

sexta-feira, agosto 12, 2011

Oração


Não é desespero não, meu amigo, nem é porque eu nunca usei drogas nem tomei um porre, não é porque eu não to sofrendo por amor, não é porque perdi meus amigos, não. Porque nada disso aconteceu, mas falta alguma coisa.
-Deus, me diga o que, e onde eu encontro porque eu tenho tentado encontrar, Você sabe o quanto eu tenho tentado, mesmo que não seja suficiente, mas tenho tentado muito, tanto! Ah, Deus, me tire dessa crise, me diga, o que mais eu preciso se não me falta nada?
Eu tenho amigos, tenho sim, tenho uma família linda, tenho um futuro brilhante, eu sei que tenho, mas acho que essa onda que as pessoas criaram de odiar o amor me fizeram matar o que de melhor eu tinha dentro de mim, matei. É Deus, e como fazer pra curar, onde encontrar o perdão?
Acho que essa moda de ser infeliz não tá me fazendo muito bem, afinal, não foi pra ser infeliz que eu nasci.
Deus, perdoe minhas heresias e blasfêmias, as que passaram e as que estão por vir, perdoe toda falta de amor próprio e para com os outros, perdoe todo rancor e toda vontade de morte que eu já tenha sentido e que eu tenha feito alguém sentir. Alivie meus pesos, diminua minhas lágrimas vazias, preencha esse oco, esse buraco, dentro do meu coração, e não me deixe, não deixe de me amar ainda que o meu amor falhe novamente. Amém.

quarta-feira, agosto 10, 2011

Apedrejem-me


Sou egoísta, exagerada, arrogante e insensível, sim!
Apedrejem-me!
Não finjo que gosto das pessoas, não fico sorrindo por conveniência.
Pra mim nada está bom, quero sempre mais, mas não uso as pessoas por isso.
Apedrejem-me!

Quero ficar sozinha, mas quero barulho e movimento.
Quero fidelidade, sinceridade e não hipocrisia.
Apedrejem-me!
Quero ser feliz, quero viver.
E se querer mais e melhor for realmente um pecado;
quem nunca pecou que me atire a primeira pedra.

quinta-feira, agosto 04, 2011

Eu todos os dias acordo, sento na cama e levanto pra minha rotina, algumas vezes rezo e outras não, algumas vezes peço desesperadamente a Deus um motivo pra seguir com minha vida e essas coisas de sempre e ele me dá. Me dá o sol lindo beijando minha janela, me dá sorrisos que confortam meu coração e me diz: “Vai lá, minha filha, eu fiz tudo isso para você.”
E que mais posso eu fazer se não agradecer? Obrigada meu Deus por me amar todos os dias.

quarta-feira, agosto 03, 2011

Eu quero tanto ser mais corajosa, mas não consigo.
Eu quero tanto ser mais forte, mas parece que todos os fardos são pesados demais pra mim.
E então eu fico em dúvida, será que só eu passo por isso?
"O melhor de mim é uma capela que eu dou" (Regra Beatitudes)

terça-feira, agosto 02, 2011

Doces lembranças

“Quantos segredos que você guardava, hoje são bobos, ninguém quer saber?
Quantas pessoas que você amava, hoje acredita que, amam você?”
-Oswaldo Montenegro

Então você pensa em todos os seus momentos passados, seus amores, seus segredos, seus sonhos,
lembra do quanto se importava com aquilo tudo, como sorria sem se importar se as pessoas observavam, como chorava por aquele namorado que se foi comparando a dor com o maior dos sofrimentos do mundo, como corria para os seus pais e amigos como se fossem eles a sua única salvação.
E você lembra das tardes de sol, das brincadeiras na chuva, do frio na barriga da primeira paixão, na mão gelada do primeiro beijo, nas cartas que enviou e recebeu, lembra das suas boas notas, lembra das notas não tão boas assim, lembra das quedas de bicicleta, das quedas das árvores, dos joelhos ralados, corações quebrados, lembra do quanto isso te fazia feliz.
Depois então quer que tudo volte, e daria tudo para reviver esses momentos, daria tudo pela felicidade, pelo nervosismo, pelos sorrisos, pelos abraços, tudo pra reviver e ter de volta. Mas ai você lembra de que não pode voltar, lembra que não vai adiantar, que não pode parar no tempo, lembra ainda que tem muito mais pra viver e então a felicidade volta e você fica outra vez pronto pra viver novos momentos, que também não vão voltar, que não vão se repetir, mas poderá ainda sorrir por ter as suas melhores e mais doces lembranças.

sábado, julho 30, 2011

Sem música.

Um palco pequeno, um piano de cauda, um saxofonista e eu.
Eu tocava piano e cantava, não sei a certo que estilo, mas cantava.
Em um dia qualquer de show ele me apareceu, aqueles olhos escuros me sugaram de um jeito...quase que um buraco negro. Eu cantava uma dor que eu não tinha e um vazio que não vivia, sofrimentos causados por um sentimento que eu até aquele momento abominava profundamente até que, depois do show, quando desci do palco, ele se aproximou de mim e me convidou para um drink.
E ele seria só mais um drink, um sexo casual e a vida continuaria, se ele não fosse diferente, se depois daquele drink ele não tivesse pedido meu telefone no lugar de me dar o endereço de um motel barato.
Mais três noites de show e alguém familiar estava sempre lá, na mesa redonda que tinha uma vista privilegiada do palco, com um copo de gim e um sorriso de triunfo. Ah, aqueles olhos negros...aquele buraco negro que exercia uma atração enorme sobre mim e aquela voz venenosa que me amava diva, aquela voz que me idolatrava...Aquela voz que quando eu menos esperei me apareceu com um pedido piegas e ao qual eu deveria ter recusado, um pedido absurdo que eu em outros tempos com pena alguma teria negado, mas eu não conseguiria negar naquele momento a minha vida inteira a ele.
E eu larguei, larguei minha carreira, larguei meus sonhos, larguei meu ar de diva e minha voz brilhante...tudo por aquele homem, depois disso ele só me disse que agora eu não tinha mais graça, era uma mulher normal, sem brilho.
Acabou, acabou tudo, e depois dele eu nunca mais cantei.

-

"Mas ele não soube,
nem saberá nunca,
Tudo que senti..."

Patricia Morgan

quarta-feira, julho 13, 2011

-

Tenho tido tremores durante a madrugada, duas da manhã e eu não consigo controlar minhas pernas, minhas mãos, meu coração. Tenho chorado todas as madrugadas e sinceramente toda essa nossa proximidade não me tem feito bem, não sei o que é, mas sei que você me tira algo sempre que se aproxima.
Eu estava pensando em algum jeito que não fosse dolorido pra nós de dar um fim nessa história, sabe, é que eu não aguento mais esperar que você se decida e não vou ter energia o suficiente por nós dois, não posso simplesmente permitir que você me tire meu melhor, minha luz e fique por isso mesmo, que só volte pra “recarregar as energias”.
Sinceramente, pare de mentir pra mim, pare de dizer que sempre pensa em nós, talvez eu até acreditasse se você no lugar de me arrancar lágrimas fosse me trazer sorrisos, mas parece que não, pois é, era só isso que eu tinha a dizer.
Talvez você não tenha entendido, eu também não entendi, mas quando você sair desse restaurante hoje, não volte mais para minha vida.
E sinceramente, mais uma vez, não dou a mínima pra o que você pensa de mim.



Sobre amigos e flores.

Visitei por esses dias o perfil de uma antiga amiga, digo antiga porque já não temos contato, e por lá encontrei algumas fotos também antigas onde me vejo mais moça, mas não tão feliz ou talvez até infeliz e pensei, é, esses não foram bons tempos, eu sorria mas não era nada de puro.
E por falar em pureza, tem doído tanto continuar tentando, tem doído cada vez mais acreditar nas pessoas e achar que em algum lugar eu poderei confiar em alguém, aliás, a impressão que tenho é que a seca vai começar outra vez no meu jardim e que vou perder as rosas que eu cuidei com tanto amor, vou perder também os vizinhos e vou morar numa rua fantasma, sozinha e enrugada como eu sempre temi.
Mas de verdade não é o que eu quero, quero que minhas rosas fiquem lindas desabrochando numa primavera interna, quero que as flores que trago dentro de mim não morram e que a esperança não murche, eu preciso mais que nunca acreditar. 
E em quem eu vou acreditar se não em mim? - olhei pra janela, e já estava amanhecendo, apaguei a luz e adormeci.

quinta-feira, julho 07, 2011

Despedida

Eu nunca fui muito boa em despedidas, mas vou versar já no fim da vida as dores que tenho a dizer.

Eu aqui quase canto essa dor que me sufoca,
dor de ter perdido amigos e a chave dessa porta
que me libertaria de todo o sofrimento que eu tanto me causei,
por ter escolhido o tormento para mim em todos os momentos.

Eu aqui me arrependo de tanta dor ter sentido,
por ter esquecido a vida,
por ter esquecido os amigos.
Que me ofereceram as mãos e quiseram me ajudar,
e eu assim tão cega dei de recusar.

Não sei como dizer, tudo o que eu sentia,
sei que essa dor hoje verso pra que se tenha alegria,
venho então dizer, agora, que vou-me embora,
que já sinto mais nada que seja da boca pra fora.

Me despeço aqui então, sem nada muito ter dito,
mas pelo menos pus pra fora de mim esse grito,
e agradeço a quem ouviu e talvez queira voltar,
pra me dizer um grave adeus, pra que eu nessa paz me vá.

domingo, julho 03, 2011

-

Estava sentada na varanda com uma amiga de muito tempo, e falávamos de como éramos, do que nos tornamos, ficamos a nos perguntar onde estão aquelas meninas doces e sensíveis que viviam falando de amor e sonhando com um futuro bom, e nos respondíamos, cresceram, viraram mulheres de negócios e bem sucedidas sem tempo pra qualquer tipo de amor ou ilusão de um mundo melhor, viraram mulheres que precisavam lutar pra sobreviver e que carregam no peito a dor de não poder mais ser as meninas que tanto sonhavam.

quinta-feira, junho 30, 2011

Quanto a vestidos novos

-Então quer dizer que eu não posso usar meu vestido novo? Quem você tá pensando que é? A gente só saiu umas duas vezes e mais nada, sem essa de posse pra cima de mim!
Me arrependi imediatamente de ter gritado isso na cara dele, a gente já tava junto a quase um mês, basicamente morando juntos e eu fiz o coitado se sentir no chão com a minha estupidez, mas, ah, é só um vestidinho inocente que deixava minhas pernas amostra.
Ele me olhou, de um jeito que me fez sentir dó, eu corri pra os braços dele e disse:
-Ta bom, amor, eu vou mudar de vestido-num tom de desespero pelo perdão, com uma expressão de vergonha estampada no meu rosto.
Como ele sabe que eu nunca fui boa em pedir desculpas, me puxou pra mais perto já sorrindo da minha expressão e sussurrou no meu ouvido:
-Ta perdoada.
E eu acabei mudando mesmo de vestido, mas, a noite não poderia ter sido melhor.

Um tal de desejo.

“São duas da manhã e mais uma vez estou sem sono, no ultimo mês tenho dormido muito pouco pensando em todas as maneiras possíveis de colocar um ponto final no que se passa, não sei como lidar com esse desejo enorme que toma conta de mim sempre que penso em você; preciso de você de volta nos meus lençóis, mulher, por quê você faz isso comigo?
Você se insinua, se contraria, diz que sentiu minha falta e diz que me quer por inteiro, não negue, mas venha, tenho a certeza que aquele presente que eu te dei ainda está novo, embrulhado talvez, e eu insisto em te ver com ele, em te ter vestida naqueles trajes vulgares que fazem um contraste perfeito com todo esse pudor que você tem.
Quero mais que nunca sua pele castanha e macia, mais que nunca do meu lado nas noites quentes, e nas noites frias, quero poder te merecer, te pertencer, como na primeira noite.”

E enquanto eu lia aquele e-mail, nada além de corpos entrelaçados e mãos e pés numa confusão profunda e intensa passava pela minha cabeça, pensava nas mãos dele desenhando minhas curvas naquela cama, pensava na maneira que me sentia sem pudor algum quando ele me puxava pra ele, pensava no amarrotado que nossos corpos deixavam no lençol, eu pensava, pensava muito...e ele não faz ideia de quanto isso é perigoso, do quanto ele pode se ferir nesse jogo, tem muito mais que só cobiça, tem minha mente, nossas mentes, duas mentes muito perigosas.

sexta-feira, junho 24, 2011

Sinceros votos.

Ele era meu, mas nunca estava comigo, fazia sempre questão de ressaltar a distância entre nós e vivia reclamando minha presença, mas como eu sempre fui muito desentendida não dava ouvidos, nem olhos, nem corpo, nem nada; ele me gritava de saudades e eu era surda, surdinha da Silva e nunca fiz muita questão de prestar atenção no que ele queria dizer, até o dia que o telefone parou de tocar, que os e-mails pararam de chegar, que ninguém mais me mandou lembranças dele, então eu vi que o tempo todo eu estava tentando sufocar aquele amor absurdo que eu não teria nunca coragem de revelar.
Meu amor, se você ler esse texto, hoje ou qualquer outro dia da sua vida, saiba que meu silêncio era medo, minha ausência sempre vergonha, e que eu te amo, e não te esquecerei nunca.
Me disseram que você vai casar, te desejo felicidades e que seus filhos tenham bastante saúde, e quem sabe que a sua esposa morra e você volte correndo pra mim; são meus sinceros votos e até mais.

Doce paranoia.

“O que foi dessa vez? Vai reclamar de eu ter te seguido até o bar? Eu só queria ter certeza que você ia encontrar seus amigos e que voltava cedo, você disse que ia me levar qualquer dia desses, por que não pode ser hoje? Qual o problema, minha roupa, meu cabelo, minhas unhas?
Eu sei, eu sei, eu estou gorda e cheia de celulites, mas eu posso fazer um tratamento, eu cubro as pernas até lá se você quiser, ou será que é minha pele, ah, eu sei que tá terrível, mas amanhã mesmo eu procuro um dermatologista, sabe, eu me preocupo com o que você acha...e...”
Então ele segurou meus ombros e disse:
“Sua paranoia te trouxe direto aonde queríamos.”
As luzes se acenderam e o coro começou a cantar:
“Parabéns, pra você...”
E eu achando que ele tava indo me trair ou que tinha vergonha de mim, ô paranoia de uma figa.#RISOS.

quinta-feira, junho 23, 2011

Um passo novo.

Eu quero muito me jogar naquele sofá, colocar a vergonha no bolso e te ligar, dizer: amor, hoje ta tão frio, eu to com saudade, vem me ver? e te ouvir rir da minha carência do outro lado da linha dizendo: já chego, meu amor, pra animar sua noite. Mas eu não vou ligar, nem espere, pode ir curtir sua noite com seus amigos seja lá aonde for, as pessoas podem fazer um milhão e meio de coisas num sábado a noite.
Ah, se você sentir saudade e me ligar, se não for atendido é que eu devo ter saído pra curtir, afinal você vive dizendo que eu sou jovem e a vida é curta, fui aproveitar, viu, amor? Quero muito que você se divirta horrores, porque eu vou me divertir muito, muito mesmo.
Talvez eu viaje também, com esses novos amigos, minhas roupas novas e o batom vermelho rubi que eu peguei na bolsa da minha mãe e vou viver, te mandarei algumas mensagens de texto, alguns email, quem sabe, mas vai ser só pra não sumir de vez da sua vida. Viva bem no meu passado, porque o meu futuro boas coisas me reserva.

quarta-feira, junho 22, 2011

Comunicando mudanças.

Decidi hoje tomar uma atitude decente quanto a minha vida, fazer valer essa mudança que as pessoas vem observando, e como eu mesma disse a alguém um dia: Mudanças são sempre bem-vindas e é por essas e outras que estou escrevendo nessa noite de quarta-feira, ante-véspera de São João.
Eu poderia estar fazendo qualquer outra coisa agora, dormindo, comendo, dançando, conversando, vai saber o que se faz nas quartas a noite, não é? Maaaaaaaaaaaaaaas, eu estou aqui e sem papas na língua pra ser sincera comigo mesma e com o resto das pessoas que por algum acaso decidiu ler o que eu escrevo.
Eu tenho estado bastante feliz nesses últimos tempos, porém um tanto insatisfeita e não o tenho escondido de ninguém, e apesar de todos estarem me reclamando de volta (sensível demais, chorosa demais, infeliz demais.), eu estou me achando muito bem, apesar da insatisfação claro, mas ela não é por mim e sim pelos demais que eu tenho tentado convencer a melhorar.Melhorar de vida, melhorar de humor, já disse e repito quantas vezes precisar: reclamar não vai mudar nada.
Ah, vão as cucuias com essa vontade de ser o centro do universo, vocês não são, e tem gente com problemas muito piores que os de vocês por ai, larguem de ser hipócritas e de dizer que estão felizes demais nessas vidinhas estúpidas e nesse circulo vicioso de humilhar os outros e se humilhar logo depois; Eu não tô me negando a ajudar, nem nada do tipo, mas se vocês não querem ser um pouco felizes o que eu posso fazer, não é?
Não digam que eu não tentei.
E digo mais, lavo minhas mãos e que vivam suas vidas amargas, porque a minha, apesar dos pesares, ta boa pra caramba e eu não quero estragar.

domingo, junho 12, 2011

-

Não ache que sendo desagradável vai atrair amigos. 
Se você é infeliz, vai continuar o sendo;
 se não mudar seu jeito de olhar o mundo.
Ser infeliz não te torna diferente.

Não é sendo infeliz que você vai se sentir melhor,
felicidade é só questão de escolher,
escolher rir de ter caído a ficar resmungando,
escolher respirar fundo a brigar com seus parentes.

Ser feliz é a solução, ser feliz.
Mude seu modo de olhar, de pensar,
lave seu rosto e erga a cabeça,
veja como tudo vai melhorar.


domingo, junho 05, 2011

Aquela mulher.

Não era das mais altas, e tinha curvas que mais pareciam ter sido esculpidas a mão, era sensual, mas tímida e transparecia uma confiança que não possuía, principalmente quando exibia seus cachos negros que desciam pelo colo exuberante.
Tinha olhos extremamente atraentes e cílios marcados pelo rímel, o respeito de todos e era cercada de olhares, todo tempo, mas era mais do que aparentava, era mais que o poder, que o fatal, que a confiança,
Tinha quase sempre as respostas mas ainda assim escondia um intelecto privilegiado.
Era fascinada pelo simples, por coisas que tinham para ela um valor descomunal, as pessoas não imaginariam nunca que ela conhecesse tanto a vida, suas mãos e sua pele, sua expressão forte e segura pareciam não demonstrar sofrimento apesar de deixar no ar sempre uma dúvida quanto ao que se referia, parecia ser um tanto ambígua nos seus gestos, no modo que falava, no que pensava, parecia não pensar, era imediata.
O sorriso era largo o que contradizia a seriedade daquela mulher que estava em segundo plano na sua própria vida, vivia cerca de pessoas que não se importavam realmente com o sentido daquilo tudo o que dava vasão a uma desconfiança quase descomunal de qualquer pessoa que se aproximasse, mas um amor ainda maior por aqueles que realmente conseguiam enxergar a cadência e a doçura nos seus olhos fatais.

-nova

Acordou diferente, e disposta a ser melhor, mais mulher, mais pronta, mais de verdade.
Levantou-se, despiu-se da mulher velha e aos poucos foi vestindo-se de amor próprio.
Pegou aquela roupa que havia comprado quando acabou o namoro, um batom vermelho,
delineador e rímel, refez-se por completo.
Pôs seus óculos escuros, pegou sua bolsa, e calçou aquele sapato maravilhoso que havia
ganho uns meses atrás do cara que a deixou.

De cabeça erguida, saiu de casa com o pé direito e transformou o lugar que a rodeava,
nunca estivera tão bonita, tão segura, um vulcão quase literalmente  era inteira fogo,
mas não é pecado, não era orgia, ela cheirava a amor, ao grande amor da vida dela,
aquela que ela viu quando olhou-se no espelho.

quarta-feira, junho 01, 2011

-

Ardia, mas não era pelos sentimentos ternos de sempre por você, era mais forte, muito mais forte,
eu te quero, quero agora, desejo.

-

 Ele como sempre não bateu na porta para entrar, estava furioso e eu não sabia o que tinha feito e se tinha feito alguma coisa, ele não me ouvia, gritei pra ver se ele me daria atenção e de súbito ele socou a parede, a uns poucos centímetros do meu rosto, sabia que o soco era pra mim e perguntei:
-Você vai me matar?
Ele respirava fundo, parecia ter recuperado o controle. E disse:
-Não mato pessoas importantes.
-Eu sou importante? -repliquei.
-A mais importante de todos, agora., me desculpe.-e se aproximou daquele jeito de sempre, aquele que sabia que me deixaria no mínimo sem condições de dar respostas lógicas as suas perguntas.

sábado, maio 14, 2011


Voltar a sorrir como quando criança, voltar a sentir o vento no rosto e não ligar pra convenções sociais, só lembrar de ser feliz, muito feliz.

quinta-feira, maio 12, 2011

Estava claro, só ela não queria ver.
Talvez ainda houvesse amor ali, mas de um jeito unilateral.
Não eram mais um só,
não se amavam mais.

Disseram adeus e foram felizes, nunca mais doeu.

contradições.

-Eu te amo, ainda.-ele disse.
Ela replicou:
-E você vai deixar de me amar?-ela nem sabia mais o que pensar, ela não queria perdê-lo, de maneira alguma. Eles estavam sentados na mesa de um boteco qualquer, se viam pouco e sempre acabavam mal resolvidos, ele voltou os olhos para as mãos e disse:
-Eu não posso simplesmente deixar de te amar, não é um programa que é só desativar, é uma coisa que está muito bem guardada, lá no fundo, no lugar mais seguro.
Ela não sabia como agir, levantou-se e saiu do bar, ele a seguia instintivamente mas parecia inútil, ela chorava, debulhava-se em lágrimas que mais pareciam sufocá-la, ele a parou, sentaram-se na calçada suja mais próxima abraçaram-se e o momento tornou-se eterno.

sexta-feira, maio 06, 2011

sobre não amar.

eu não te amo!
não amo, nunca amei.

E não dói te dizer isso agora,
não dói porque é a verdade,
não dói porque o tempo inteiro eu tentei não te machucar,
e agora eu te digo a verdade, não te amo.

E agora eu quero repetir, quantas vezes for preciso, que eu não te amo e a culpa é sua,
só sua, por conseguir me afastar daquele sentimento que poderia ter mudado nossas vidas, e não reclame,
não julgue, pode me esquecer se quiser, ir embora, e eu vou fazer questão de trancar a porta depois que você sair.

quinta-feira, maio 05, 2011

-Depois da sua ida eu fiquei cheia das manias.
-Quais?
-As suas, não consigo lidar com a ideia de não ter mais você.
-Mas você ainda me tem se quiser, você quer? - E me olhou daquele jeito safado, ao qual eu não consigo resistir, foi mais forte que eu, me atirei nos seus braços seguros.
-Eu quero, eu sempre quis.

Tatuagem.

Adapte-se, querida, você ainda vai quebrar muito a cara, mas com o tempo para de doer, quer dizer, não que realmente pare mas cicatriza, tudo cicatriza.
E para o mundo não te esmagar você pode até tatuar qualquer sentimento falso por cima das cicatrizes, quem sabe funcione?
Me avise se der certo.
E em cada cicatriz nova você pode tatuar o nome de alguém, mas eu acho que a culpa de todas elas deve ser sua e das suas escolhas erradas, então, esqueça a tatuagem, venha, me dê a mão, vamos cuidar melhor dessas feridas.

sexta-feira, abril 29, 2011

Tudo o que tenho a dizer.

Certo, sempre chego falo tudo o que tenho pra falar e vou embora, como se não tivesse mais nada depois disso, como se eu não estivesse sendo ouvida, vista, mas sei que estou e sei que muita gente entende.
É bom saber que alguém no mundo se sente igual a você, bem ou mal, mas você não está sozinho, nunca; em algum lugar do outro lado do mundo tem alguém repetindo a sua ação, alguém que você nem conhece mas que precisa das mesmas coisas que você, alguém que poderia ser sua alma gêmea, mas você não vai encontrar nunca.
Sabe por quê? Porque você se acomodou a ficar ai sofrendo, trancado nesse quarto feio e cheio de livros estranhos que só você lê, se acomodou a não sair do seu mundinho e por isso vai perder tudo de mais bonito que a vida te oferece, vai perder sorrisos, vai perder o sol, vai perder o amor e a culpa disso tudo não é de Deus ou das pessoas, é única e exclusivamente sua.
Você escolheu não acreditar mais em nós, sem si, você escolheu se detestar e detestar a todos que estavam do seu lado.
Você e suas escolhas erradas, mas eu sei que não vai adiantar, nada vai mudar nem melhorar, não tenho nada a dizer, melhor, já disse tudo que tinha.
Vou embora mais uma vez, espero por ai que alguém entenda e me ouça.

quarta-feira, abril 27, 2011

-

Doí tanto não conseguir acreditar em você, talvez porque eu no seu lugar não me diria esse tipo de coisas,
Doí tanto porque eu não consigo me sentir no seu mundo, porque eu não faço e nem nunca farei parte dele.
Doí ainda mais saber que você vai tentar me levar pra você, e tentar me manter por ai, por perto, só pra observar. Mas eu não acredito, não acredito mais nesse tipo de sentimento, não acredito mais nesse tipo de coisa, nesse tipo de sonho.

Eu não consigo mais te encontrar aqui, deve ser mesmo só culpa minha, porque eu não acredito...mas ainda assim, doí achar que nada disso vai ser possível.

-repetidos

E eu sempre repito: -O que nós somos?
Daí você vem, com essa cara de quem não sabe de nada e esses olhos de maresia e diz: -"Você é meu amor."
Que mané amor, cara, que tipo de amor é esse?
Não tô te pedindo nada demais, nenhuma atitude de mártir nem nada do gênero, não quero que você mude de nome, não quero que você arrume um trabalho, só quero que você me explique o que é esse amor, de onde ele vem, e porque não passa de palavras.?
Eu quero que você me diga: "você é minha amiga." ou "eu quero me casar com você.", mas sem essa de ser seu amor, porque ser o amor de alguém não quer dizer nada.
Não ache que eu vou te esperar por muito tempo, porque eu não vou, ou você me dá algum sinal inútil de vida ou me esquece, aliás, acho que estou perdendo muito, mas muito, do meu precioso tempo com você.

-Passe amanhã, ou não, meu amor.

segunda-feira, abril 18, 2011

remorso.

Você quem vai escolher o que sentir,
eu te disse, não me leve a sério!
Você vai ter que ser mais forte,
eu te disse, suprima esse sentimento.

Não me olhe assim, não baixe a cabeça,
não tenha vergonha do que sente,
Mas não me martirize por não te corresponder,
por favor.

Me mate de um medo menos doloroso.

domingo, abril 17, 2011

Traidores

 Traidores,
 sujos e sórdidos,
 Traidores,
doentios, sombrios.

 Afastem-se de mim!
 Eu não os quero ao meu lado,
 infelizes, traidores.
 Antes caia sobre mim esse teto.

 Traidores,
 deixem-me, esqueçam-me.
 Traidores!

quinta-feira, abril 14, 2011

Ela vai te rasgar,
dilacerar, e te deixar lá até que não tenhas mais nenhuma gota de sangue!
Ela vai fazer do teu coração a refeição do dia!

Ah, meu caro, pense bem no que faz,
no que o diz, o que ele te dá não é amor.
Ela tem sede,
e só quer que ela acabe.

Não te importa sofrer?
Ah, sentimentos...e você,
disposto a tudo, a todas as dores por ela.
Mundo injusto, amor injusto esse meu, por você!

quinta-feira, março 31, 2011

Sem tempo pra te esperar.

 Não tenho tido muito tempo pra mim, e tenho gasto grande parte desse pouco tempo com você, pensando e perdendo noites e noites de sono, mas ultimamente tenho visto que estamos em uma nova fase, sem grandes dependências, ficamos melhor separados, aliás,  nem fotografamos muito bem.
 Vou continuar sendo sua amiga, é claro, mas quero agora só um pouco de distância, tenho me sentido mulher demais pra você, pra essa sua sede infantil. Eu não estou cheia de carências, e acho que na fase em que eu me encontro  sua companhia é dispensável, vou sempre sentir saudades de te ouvir, de rir com você, rir de você, mas quero deixar claro,  vou te amar sempre, e quero que você me ame, me ame sempre, só não posso mais te esperar, tenho um longo caminho pela frente e as portas não vão estar sempre abertas, não esqueça que eu te amo, e tente entender, precisamos viver longe disso tudo, qualquer dia retomaremos nossa discussão. Beijo grande, te ligo hoje a noite, quem sabe não possamos jantar?
  

quinta-feira, março 24, 2011

Não sei dar nome a coisas.

Não sei nomear sentimentos, objetos, animais, pessoas, pra quê?
São só nomes, palavras que vão ser cuspidas nas horas boas e ruins, por quê se precisa deles? Não se precisa, são só modos de separar todo mundo, de dizer que não somos iguais, mas isso não precisa ser dito e independente de qualquer coisa não somos iguais; por dentro somos todos de um jeito, uns mais fortes, uns mais fracos, uns com fé, outros nem tanto, uns com coragem, outros com covardia.
Não consigo nomear sentimentos, explicar aquele frio na barriga que eu sinto quando estou na montanha russa, ou o que eu sinto quando estou com meus amigos, minha familia, com as pessoas que eu amo, realmente, não dá pra descrever.
E pra mim, vai tudo continuar assim, sem nome, sem jeito, sem separação, mesmo que seja tudo diferente, vai ser igual.:*

-

'E é uma precisão tão grande de você por perto, uma precisão de você dizendo que me ama mesmo que eu seja insolente, hostil e ignorante.
É uma precisão tão grande do seu abraço e do seu olhar apaixonado que só me vê, da sua postura de quem me aceita e só a mim, uma precisão tão grande de que você jure que não vai me deixar, eu preciso muito, muito mesmo de você.'
-E escrevo essa mensagem pra você todos os dias, sem coragem de enviar, mas escrevo, me sinto aliviada e te deixo na obrigação de perceber como a minha vida tem estado sem rumo longe de você.
Eu sei que não vai adiantar de muita coisa, mas eu vou continuar, eu preciso viver e minha vida é bem mais importante que essa precisão de você, não posso me prender, mas eu realmente gostaria que você segurasse minha mão quando fôssemos embora.

-Valorize-se

Valorize-se, porque se você não fizer isso por sí mesmo, ninguém, ninguém eu repito, o fará.
Valorize-se, e veja que só você que pode se fazer feliz, abra o mais belo dos sorrisos pra si mesmo ao se ver no espelho.
Valorize-se, porque amor próprio é qualidade de poucos hoje em dia, e não é de ser convencido que eu falo, falo de se amar sem querer ser o melhor de todos, só confie que é capaz.
Valorize-se como ser pensante e de opinião, porque o mais belo e verdadeiro de todos os amores você tem.

:*

quinta-feira, março 10, 2011

Você sempre vai voltar.

Você pode ter todas as mulheres que quiser, mas não vai passar de algo carnal, elas vão ser apenas objetos pra satisfazer você, e em seu pensamento sempre estará aquela mesma, a intocada, aquela que decidiu não ser igual as outras.
Você pode ter todas as riquezas que o mundo te oferecer, mas vai sempre lembrar daquela que te prometeu amor eterno e acreditou que você voltaria para construírem juntos um mundo,
Você vai conhecer os lugares mais belos, mas nenhum desses lugares se comparará ao colo reluzente de tua dama, pura e inocente, que acredita em todas as tuas juras, que confia em você e que por um amor que ela julga de valor te dedica a sua juventude, esperando e esperando, e quando a ela perguntam de ti, há uma única resposta dada por ela a todos, "Ele voltará."
E é por isso que você sempre volta, pra fazê-la feliz uma vez a menos, pra ver que seus olhos brilharão e a fazer pensar com cada vez mais fé que é a mulher da sua vida.
Tudo isso, meu caro, porque você a ama.

segunda-feira, março 07, 2011

-

Todos os dias acordo determinada  a te dizer o quanto você me doí, o quanto eu estou encharcada de você, o quanto eu preciso do teu ar para purificar meus pulmões, meu amor, você me doí de um jeito imenso, fere minhas entranhas, queima minha alma, ah, por quê você me doí tanto? 
Eu te quis tanto, me doei tanto, sonhei tanto, poderia ter sido diferente e nós não queimaríamos, sabe, às vezes você parece um isqueiro e eu uma garrafa de gasolina, só basta você perto de mim pra que eu exploda, TUDO, tudo meu amor, tudo em mim explode, e eu tento tanto, tenho tanto medo, mas não para nunca.
Eu ainda preciso muito de você.


sexta-feira, março 04, 2011

Thiago.

Era 26 de março, e como todos os dias ela seguia sua rotina, ela pegou seu ônibus e sentou-se no lugar que costuma sentar-se.
Logo após ela estava uma garota belissíma, e nas cadeiras do lado esquerdo também, tadinha, com a auto-estima baixissíma que tinha se afundou na cadeira e começou a se maquiar, na tentativa desesperada de ficar um pouco melhor, soltou o cabelo, arrumou a roupa, no fim até se sentia melhor, ela estava sentada em frente a um dos vidros que ficam ao lado da porta do ônibus e sempre se olhava pra garantir que estava tudo impecável até que ele subiu, extremamente lindo e num ônibus quase vazio resolveu sentar-se ao lado dela, que boba, o observava sem saber que estava sendo observada, ela achava que aqueles olhares que ele dava ao vidro eram para aquela outra que ela podia ver pelo vidro, mas não eram.
Passadas algumas paradas o ônibus deu um freio muito forte e ele segurou-se na janela onde ela estava, praticamente a abraçava, seus olhos eram fixos um no outro e ele parecia ter algo a dizer, mas não disse, e ela sempre achando que seria impossível despertar interesse em fosse quem fosse, imagina naquele cara, lindo.
Depois que os animos se acalmaram ela viu um aparelho de celular aberto na página de mensagens de texto que dizia: "Você pode me dar seu telefone.?", ela não acreditava, mas deu seu telefone, ele disse seu nome e disse que tinha 20 anos, estava indo trabalhar e estava encantado com a beleza dela, disse também que ele ligaria mais tarde pra saber como ela estava e despediu-se com um beijo.
E ele ligou, mas ela não atendeu, não acreditava, e o encanto se desfez.
Talvez até que existam romances, mas nós ainda não estamos prontos.

quarta-feira, março 02, 2011

Então combinemos assim, meu bem, eu não te cobro nada e você menos ainda de mim, não é? Acho que a relação vai ser bem melhor assim, se você do nada aparecer com  flores pra me buscar no trabalho e me disser que temos que jantar, se eu te der aquele relógio que você quer a dois meses, acho também, meu bem, que podemos sempre viajar se te agradar, sempre que estivermos de folga, ou num fim-de-semana, até porque só de vez em quando temos tempo pra nós dois, pra sermos um pelo outro.
Ah, sim, meu bem, eu não quero de você nada que não possas me dar, mas só quero que me dê uma coisa, seu pensamento, eu te gosto demais, aguardo sua ligação, como sempre, morta de saudade, um beijo.

terça-feira, março 01, 2011

Romances não existem.

Não minha cara, não existem príncipes encantados, não existem castelos e nem o tão sonhado "Felizes para sempre."
Existem apenas sapos, casas destelhadas e uma separação no fim da história.
Essa coisa do cara certo, que te conhece não sei como e se apaixona por você é a mais pura balela, porque aquele cara provavelmente só vai querer te usar e te largar por ai como já fez com muitas outras.
Minha cara, eu falo do real, do que vejo, do que há nas mãos, você não vai encontrar ninguém que te faça feliz, o amor, os romances, as histórias bonitas, não são reais, já te disse e vou continuar a dizer.
Eles não ligam, não te dedicam textos, além de que, decepções com esse tipo de coisa já são clichés, essas histórias de que "quem não sofreu por amor não é feliz.", não existe, que dane-se sofrer por pessoas que não te dão valor, dane-se sofrer por qualquer cara, esse tipo de sofrimento não te melhora, nada te acrescenta e não vai te dignificar!
Entenda, você não está mudando nada, nem ninguém!
Isso tudo, não existe e digo novamente, romances não existem.

domingo, fevereiro 27, 2011

tempos de dança.

 20:30, ela saiu de casa, decidiu que merecia ser feliz, mas no caminho, sem querer, foi envenenada com uma dose de falsidade de um tamanho quase letal. Isso a afetaria de um modo muito forte, seria capaz até de estragar a noite dela.
21:00, ela chegou ao seu lugar de destino, não conseguia sorrir, mas algumas pessoas sorriam pra ela, foram até ternas, mas nada adiantava.
22:30, ela decidiu depois de muito, tentar, apenas, tentar se animar e até teve algum avanço, mas nada muito construtivo, até, de repente ganhar um abraço e ouvir uma voz dizer: "sabe, eu gostei dela assim de cara, de graça.!"; ela tinha que agradecer, olhou pro lado e sorriu, dai então ele não parou mais de tentar tirar dela aqueles sorrisos doces e verdadeiros.
23:02, ela estava saindo da pista, tentando alguns passos tímidos de algum ritmo que mal conhecia, ele perguntou por que ela não dançava e ela disse: "não sei dançar, prefiro só assistir, tenho medo.", ele a olhou fixamente, e sorriu, um sorriso malicioso de quem apronta algo, mas não aprontou nada, até ai, ao menos.
23:32, ela voltou pra pista com as amigas e sentiu que um braço envolvia sua cintura, ela parecia flutuar, estava dançando, e com ele, ela não fazia esforço nenhum, ele parecia conduzi-la com uma facilidade tal que a impressionava, de todo, foi a melhor dança da vida dela, eles sorriam, aliás, foi a primeira dança, porque pra ela tudo recomeçara ali, depois daquele abraço que a tinha por inteira, um abraço diferente de todos os outros, não o melhor de todos, mas o dado com mais carinho, e a surpresa era ter vindo de um "desconhecido".
Ele, de certo modo, conseguiu salvar a noite que ela julgava ter perdido e ela lhe será grata eternamente por isso.

sexta-feira, fevereiro 25, 2011

-

Não se importe, alguém sempre vai mentir pra você, dizendo o quão legal você é, o quanto te ama, o quanto você é importante, SEMPRE, em algum lugar haverá alguém que vai te enganar perfeitamente e tirar de você o melhor que você tiver, tudo, sentimentos, bens, tudo de bom a menos.
E depois, quando você estiver no frio, triste e só, dentro de você não haverá nada que te ajude, porque te levaram tudo, me levaram tudo, até a mais ínfima lembrança a qual eu me agarrei com toda a força, e agora não tenho nada, você também não vai ter.
Porque é assim, as pessoas nunca, nunca, ouviu bem? Nunca falam a verdade, cuidado com elas.

E o coração sempre um caco, porque nada mais há que feridas e amargura, igual a cristal, nada consegue colar.

terça-feira, fevereiro 22, 2011

Venha me abraçar.

Venha me abraçar quando estiver de partida, diga que vai sentir minha falta e que vai sempre voltar pra me visitar, mesmo que seja mentira.
Venha me abraçar quando estiver frio, me aqueça, deixe-me te aquecer, diga-me palavras doces, mesmo que enjoem, mesmo que me façam querer fugir, me segure mais forte e mais perto e convença-me a gostá-las.
Venha me abraçar depois de termos estado tristes, venha me abraçar quando sentir saudades, venha me abraçar quando tudo for ilusão.
E mesmo sabendo que tudo acabou, que o encanto não existe mais, venha me abraçar e assim refazer tudo o que tínhamos, sim, eu te gosto, e muito ainda.

segunda-feira, fevereiro 21, 2011

Ouça.(:



Ouça o meu silêncio, talvez eu te quisesse também, nesses meus últimos acordes, nessa maior inspiração, deixo claro nesse momento, é minha ultima canção.
Todas as rimas bobas e as frases sem conexão me ligam direto a você, meu ar, minha simples emoção, talvez o tempo todo eu só tivesse medo do que aconteceria depois que ficasse tudo claro e sobre a mesa;
Ouça agora o meu grito, agora eu não consigo mais guardar todo remorso pela escolha errada, por ter deixado passar, ouça, é tão nítido pra você quando pra mim? Eu sofri tanto trazendo isso aqui, eu quis tanto compartilhar e jogar tudo sobre você quando perguntavas se eu estava bem, mas não dava, eu não podia ter escolhido que você pagasse o preço do meu erro, não conseguia me mover, me desculpe.
Eu só preciso que você diga que não me gosta mais, que tu deixou adormecer aquilo que era amor e meu canto acaba, e te deixo então em paz.

#PlayNow:  -Me Diz- Banda Ramirez. *--*
Ouçam. :D

sábado, fevereiro 19, 2011

Para você, do homem que queres amar.

Temo que teu coração se parta, aliás, temo ser a pessoa que o irá fazer ruir, não quero ser o homem que vai roubar teus sonhos, tua juventude e depois, quando tu mais nada tiveres a me oferecer, te deixar.
Temo que ainda que me apaixone por você como prometi, não possa te ser fiel, temo não resistir as outras que passarão no meu caminho quando não estiveres ao meu lado, temo então te fazer infeliz, porque não quero que sintas   o que já senti um dia.

Temo ainda mais que você se apaixone por mim, entenda, estou no auge da minha vida, não quero me prender a ninguém e seria ótimo que você também não quisesse, poderíamos desfrutar de tudo sem maiores sofrimentos posteriores, mas não somos assim e por isso temo, por nós dois, temo por sentimentos que possam vir a acontecer, a sentimentos que possam morrer e temo pelos nossos corações, o meu que é sempre duro demais, e o seu, que não resistirá ao fim.

Por isso te escrevo, pra dizer que antes de tentar qualquer coisa, não quero te ferir, a escolha é inteiramente sua,  mas te deixo claro meus temores, sei que vai me entender e espero que mude de ideia.
Vou esperar você ligar, um grande beijo.

quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Das diferenças entre ser e parecer. :*

Olhe pra quem estiver mais perto de você, como você o enxerga? E essa pessoa é realmente assim?
Será que aquela garota super produzida é feliz? O que ela esconde depois das sete camadas de corretivo que usa no rosto? E o que há no coração dela?
E será que aquele cara tão simples e com ar abnegado é mesmo tudo isso? O que ele traz no peito? Será que essa abnegação toda não esconde uma desgraça?

É, muitos de nós aparentamos ser o que não somos, nossos olhares mentem, as vontades mentem e tudo mais.
E quantas vezes nós deixamos de conhecer pessoas incríveis por julgar de forma errada? E quantas vezes fomos julgados? Quando deixamos as pessoas provarem que não são o que imaginamos? Só o tempo derruba as máscaras, só o dia-a-dia mostra quem realmente somos a nós e aos outros.

Desde ai vem as diferenças entre ser e parecer, porque tudo que é puramente externo se torna inútil aos olhos de Deus.

quarta-feira, fevereiro 09, 2011

Intimidades de um novo amor.![3]

Ele vai embora, e então, como ela vai viver?
Sem vê-lo? Mesmo sabendo que ela é parte da vida dele, que ele não a irá esquecer e que isso tudo foi dito por ele, ela não ficaria bem até que ele fosse dela outra vez, que ele voltasse, que estivesse ali.
O que seria das suas manhãs e tardes sem aquele sorriso, das suas noites sem aquela voz tranquila sussurrando qualquer tipo de coisa boba,
Como seria dos seus aniversários de namoro[que nem existiam]?, como ela respiraria sem dividir o ar com ele?,
ela seguiria, ela sempre seguia, e veria e viveria por fim as intimidades desse novo amor.

Porque a história sempre recomeça.

quarta-feira, fevereiro 02, 2011

Intimidades de um novo amor.! [2]

Ele estava brincando com tudo, não é possível que não percebesse o que ela sentia, ela o queria muito, muito, muito e dava pra ver, transparente do jeito que ela era todos os outros amigos já tinham percebido.
Será possível que ele nunca veria, que nunca pararia, isso explicaria a enorme necessidade de atenção dele que ela tinha, explicava a dependência dos abraços, a dependência das palavras, explicaria tudo.
Ela o amava e isso deveria bastar!
Deveria bastar porque ela precisava de um pouco mais de carinho, deveria bastar porque ele não saia da cabeça dela, deveria bastar porque era isso que deveria ser pra os dois, todo mundo diz.
Deveria bastar porque ela só sentia-se melhor perto dele e isso deveria ser recíproco, deveria ser, não é possível que não seja!
Que droga! Ela merece isso a menos, sim, deveria bastar!

Intimidades de um novo amor.!

A uns 15 de Outubro ela o conheceu, se deram bem de cara, ele a fazia rir e ela o fazia refletir, ficaram logo bons amigos, passado um tempo não se viam mais até que ela sem querer foi parar na mesma escola que ele, sim, vocês não tem ideia do quanto ela ficou feliz ao vê-lo ali, cintilou, ficou radiante, depois disso sabia que ele não a deixaria mais e a amizade cresceu, começaram a dividir histórias do passado, sonhos e ela fraca e boba como sempre se deixou levar, apaixonou-se.
De primeiro fugia, se escondia pelos corredores, não atendia as ligações, quando esbarravam sem querer sempre estava com pressa, tudo pra que seu olhar não a entregasse, mas não aguentava a saudade, doía tanto...se ele pudesse ao menos imaginar!
E ela voltou, passou a fingir que não sentia nada, mas morria de ciúmes, cada vez que ele falava de alguém ela morria um pouco e não podia fazer nada, não queria perdê-lo outra vez, pelo menos não assim, se era pra morrer que fosse aos poucos.
Não importava, ela o amava, estando ele limpo, sujo, bonito, feio, feliz, triste, tratando-a bem ou não, e ela só queria ficar por perto, só queria saber que ele estaria ali pra conforta-la quando ela chorasse por amor, mesmo sem saber que era por ele, queria compartilhar cada  momento, fazê-lo feliz da forma que pudesse e só o amava, dedicava-se totalmente a aquele ser que a havia roubado os dias e os devolvido de forma tão doce.
E o medo de perdê-lo era tão grande que ela o feria sempre que podia, pra que assim ele pudesse feri-la e talvez depois disso aquele amor acabasse.

segunda-feira, janeiro 31, 2011

Eu não sou a pessoa ideal.

Passei anos entre pessoas que buscavam a aceitação de todos, que buscavam ser as melhores e se expunham e expõe a qualquer coisa pra se sentirem inseridos no grupo dos famosos.
Mas agora tenho tentando entender o que leva alguém a abrir mão da própria dignidade, amor-próprio e valores familiares só pra aparecer num programa inútil de TV, sei que essas pessoa não se amam e não é desse tipo de pessoa que se precisa.
Eu sou feliz, estou feliz e mais que tudo acredito na mudança, é sério, apesar do cinza e do sarcasmo eu estou feliz!
E é isso que importa. (:
Mesmo não sendo a pessoa ideal, não sendo a mais magra, mais bonita, mais inteligente a mais alta e não me parecer uma manequim continuarei feliz, firme e forte, seguindo na fé e é isso.
Eu não sou a pessoa ideal.

domingo, janeiro 30, 2011

ultima vez que te dedico algo.

Sei da necessidade enorme de aprovação você tem,
mas eu não te aprovo, não te adoro, não te sigo, não quero você na minha vida
Sei o que faz sua cabeça todas as manhãs, mas eu não suporto mais ouvir tua voz,
não suporto mais teu cheiro, teu toque, tudo me fere, sangra.

E eu estou feliz, com você bem longe, e vou continuar feliz, porque pela ultima vez te dedico algo,
é meu agradecimento por ter me tornado o que eu sou, melhor, mais forte e cheia de amor próprio, radiante!
Então, ficam aqui meus votos de felicidade, e um sorriso doce que jamais esquecerás, é, eu te GOSTEI demais.

sexta-feira, janeiro 21, 2011

Os males do sucesso.


Choveu, as poças se encheram durante a madrugada, chorou e não nega, chorou muito de um jeito impessoal e discreto sem manchas no rosto, sem olheiras, sem cabelos desgrenhados,
Não tinha motivo para as crises noturnas a não ser a saudade dos tempos em que todas as atenções eram dela, do tempo em que todos a amavam e a queriam por perto, mas acabou, ela estava sozinha e percebia que nada mais seria igual, nunca mais.
As pessoas não queriam mais conhecê-la como antes, não mais se interessavam por histórias dela, não mais a seguiam e ela estava só, pela primeira vez depois de muito tempo.
Ela viu todas as relações de amor que a cercavam se destruírem e de certa forma a culpa era dela, então ela só podia silenciar diante de tudo isso,
subir no seu barquinho de papel e viajar pra longe, bem longe até se encontrar.

quinta-feira, janeiro 20, 2011

e tenho dito!


E antes de tudo, dessa vez quero deixar claro que estou indo, mas volto, não tenho por intenção deixar ninguém sozinho, mesmo que eu demore anos pra estar de volta, mesmo que eu demore anos pra te ligar outra vez, mesmo que eu demore anos pra rever as amigas, levarei na minha mala de viagem pessoas importantes, lembranças bonitas, sonhos emocionantes, amores intensos e dores que construíram pontes sob meus pés e me guiaram a um novo caminho.
Vou subir no meu barquinho com meus novos amigos, e nós vamos remar juntos pra qualquer lugar aonde possamos encontrar a felicidade e não esquecerei de vocês meus velhos, voltarei melhor, voltarei mais forte, talvez menos, voltarei feliz, porque eu não preciso provar mais nada, e tenho o dito!

quarta-feira, janeiro 12, 2011

Crônicas da tristeza II [o fim]

 Resolveu permitir-se, ergueu a cabeça, disse a si mesma que não poderia nunca, nunca mais deixar que as pessoas a ferissem,
  Resolveu acordar e dizer a todo mundo o que havia engolido a muito tempo, resolveu dizer o que queria, a quem queria, na hora que quisesse, estava disposta a mudar, não queria mais ser triste.
 Resolveu escutar seu coração, afinal, as coisas que mais a fizeram mal vieram das pessoas que ela ouviu, das pessoas que ela confiava, que ela amava.
 Resolveu então por fim, rasgar os textos que tinha guardado na gaveta do quarto, os textos em que contava com detalhes sua dor, sim.

Resolveu então parar de chorar todas as noites, resolveu que a tristeza não seria mais a sua companheira, tomou as decisões mais corretas, pelo menos era nisso que acreditava.
Depois de tudo isso, de mostrar ao mundo quem ela achava ser, desmoronou outra vez, porque na verdade ela era tristeza, ela não tinha, não poderia nem queria ver o pôr-do-sol, ela não queria, não podia ver o nascer do sol, ela não tinha vocação pra cores, nem sorrisos, seus olhos eram tristes, sua alma...

Mas chegou ao fim, como tinha de chegar, como tudo chega, ela enfim descansou, deitou-se  e fechou os olhos pra eternidade.

terça-feira, janeiro 11, 2011

Crônicas da tristeza.I

 Não se reconhecia, não sabia o que era.
 Não sabia se era toda dor, se era toda amor, se era tristeza, se era intensidade;
 Mas também não adiantaria muito, infeliz do jeito que estava nada importava, nada!


 As pessoas vão sugando o melhor que ela tem,
 a fé, a força, a alegria, as pessoas vão levando os sonhos e os que não levam fazem questão de destruir aos     poucos, frustrada e infeliz, essa é a definição dela nesse exato momento.

 Ela queria matar a todos, com requintes de crueldade, ela queria ver dor, ver vida se esvair, e se arrependia um minuto depois de ter pensado esse tipo de coisa.

Na verdade ela queria se livrar dessa hipocrisia que a cercava, queria se livrar do tipo de pessoa que só queria a energia que ela tinha, que só queria vê-la no chão.
Mas não conseguiram, saibam, ela está infeliz e frustrada, desiludida, passando de fase, mas não é isso que ela quer, não é isso que ela é,
Há cor no mundo em que ela vive.

segunda-feira, janeiro 10, 2011

Crônicas da tristeza.

          Seis da manhã, ela levantou-se como todos os dias, falou rapidamente com Deus só o de sempre(...), saiu do quarto e seguiu sua rotina matinal, foi ao trabalho e lá, mais uma vez, viu-se perdida em pensamentos dolorosos, de falta.
         Seis da noite, ela se preparava para ver os amigos, o que ela julgava que seria bom, mas estava enganada, como sempre, saiu de lá muito pior do que quando havia chegado, saia além de com seus problemas com o de cada um deles naquela bolsa imaginária que ela carregava.
         Em casa ela tentava desabafar, mas com quem?
         As paredes do seu quarto pareciam estar cansadas das crises constantes de choro, das orações mal-feitas  e dos gritos abafados pelos travesseiros, a janela sempre aberta dava uma vista parcial de uma constelação que ela via toda noite, fios de eletricidade e duas árvores da calçada vizinha, não era das melhores vistas mas naquelas horas parecia ser o único lugar aonde ela queria estar, no meio daquele vazio, do silêncio, na paz.
        Mas não adiantava muito, ela tentava lutar contra a dor, tentava respirar, tentava sorrir, mas não era nada sincero, ela não era e nem é feliz.
        Perguntavam como ela estava, e antes, ela sempre contava toda a história do seu amor perdido, da sua falta de coragem, das frustrações infantis, dos medos, do choro, mas de um tempo pra cá a resposta tinha passado a ser, é, ta tudo bem, finalmente;
        E todo mundo parecia acreditar que ela estava realmente bem, porque ela não deixava que ninguém a olhasse, que ninguém visse seus olhos profundos e cheios de lágrimas, ninguém realmente se importava com os sentimentos dela, sempre esqueciam seu aniversário, esqueciam que ela tinha recitais de música, que ela tinha qualquer coisa que precisasse de plateia a fazer, e ela como sempre estava conformada, conformada a não pedir ajuda, conformada a não contar mais nada a ninguém, conformada em dar um basta na necessidade de apoio.
         Ela na verdade não sabia o que queria, era tão indecisa, sempre havia sido, desde a primeira escolha que teve de fazer e acabou assim, sem nada, sem ninguém, sem muitos sonhos, sem muitos amores, sem planos e um futuro morto.

domingo, janeiro 09, 2011

Primeiros passos.

  Acorde, erga-se, ponha-se disposto a recomeçar nesse amanhecer.
 Dê um passo a frente, siga até a janela, abra-a, contemple o sol...deixe que o calor invada seu corpo.
 Deixe que a energia fortaleça cada parte de você,
 Abandone os pensamentos ruins, sorria, cante, corra.
 Abrace o primeiro desconhecido com cara de sorriso que vir,
 Externe sua felicidade.

 Deixe que todos te chamem de louco,
 Deixe que digam que você não tem juizo,
 E ainda assim seja feliz, seja e haja como alguém feliz.
:D

 E a noite, quando o frio chegar, deite-se por sobre as cobertas e tenha a certeza que teve mais um dia feliz.
 Tenha a certeza que no amanhecer que virá tudo vai ser melhor e ainda mais bonito.

quinta-feira, janeiro 06, 2011

Com o coração inteiro.

Resolvido,
Comecei a viver com o coração inteiro,
com o coração inteiro me amei mais,
com o coração inteiro passei a amar mais as pessoas.

Com o coração inteiro eu posso ver e respirar de você,
e não ter medo.
Com coração inteiro tudo se supera.
Com coração inteiro eu vou.

Com coração inteiro eu decidi entregar meus sentimentos de uma vez
e assim, só assim, aliviar essa dor que pesava em mim.

terça-feira, janeiro 04, 2011

Nós somos a excessão.

Somos as garotas que depois de quase dez anos com o mesmo cara e um rompimento recebem um pedido de casamento inusitado.
Somos aquela casada feliz que é traída que depois do fim do casamento se redescobre,
Somos aquela mulher que só tem romances virtuais, que não sai com ninguém, mas de repente descobre o amor da sua vida na mesa ao lado no bar.
Somos aquela garota desesperada pra arrumar um namorado, somos o cara que a ajuda a não sofrer tanto, um cara insensível. E nós somos as única garota por quem aquele cara insensível se apaixonou.
Nós somos sempre a excessão, cada uma de nós é a sua própria excessão, e sempre, sempre há um final feliz pra nós.




Baseado em: "Ele não está tão afim de você." #filme.:*

domingo, janeiro 02, 2011

Compartilhe.

Compartilhe minhas dúvidas, o que há de errado em sentir?
O que há de tão feio em querer ajudar?
O que há de mal em amar?
Compartilhe minha dúvida, compartilhe comigo o que de mim rouba o tempo,
compartilhe do meu coração, compartilhe da minha alma, compartilhe da minha essência, porque nada somos sem dúvidas.
Compartilhe comigo sorrisos, compartilhe comigo sentido, compartilhe comigo carinho, compartilhe comigo momentos.
Compartilhe comigo mais de você, abra-se as pessoas, abra-se a vida, abra-se as oportunidades, permita-se.
Compartilhe o mar, compartilhe tudo, compartilhe mais,  demais.
Compartilhe.

\o

  É tanta coisa a se fazer, sempre, tanta pressa; ninguém para pra ver as coisas importantes da vida.
  Ninguém repara no sorriso das crianças, ninguém ouve o canto dos pássaros, ninguém vê o quanto os idosos lutam pra continuar a viver, ninguém se alegra ao descobrir que mais alguém virá ao mundo, ninguém se preocupa mais com a felicidade do próximo, ninguém se preocupa em saber como as pessoas passam, ninguém exercita o amor.
  Não é porque você não gosta de alguém que você não pode amar, que não pode se importar, AMAR É PRECISO.
  E eu quero, nesse ano, pedir encarecidamente, amem, sejam caridosos(a caridade é o amor em ação.).
  Vejam que o espírito fraterno não deve existir só nos fins de ano, devemos ser solidários e carinhosos com todos, o ano inteiro, todos os anos.
  E desejo a vocês a maior de todas as felicidades.:D

Leia-me

Sinta-me, queira-me, ouça-me, lembre-se de mim, cante-me, odeie-me, deseje-me, fale de mim.
Ama-me, sofra-me, esteja comigo.
Não é muito a se pedir, ou é?
Eu que peço de você o nada, talvez realmente seja, talvez eu peça demais do seu vazio.
Sim, eu tenho pedido.

Me desculpe, ou não.
Esteja aqui, ou não.
Espere por mim, não, melhor não.
Não pedirei mais, você não merece nem a minha lembrança.
Quem sabe eu que não mereça lembrar, não sei.

Sinto sua falta.
Estou confusa, não sei o que te dizer,
nem o que fazer, nem o que sonhar, eu preciso parar, tenho que parar.
Eu não te amo.

sábado, janeiro 01, 2011

-recomeço(?)

   A ilusão do recomeço é o que nos faz melhor, mas não é recomeço, é continuação, e nós nem mudamos tanto assim, os dias são só dias e os anos são só anos...os amores ainda vão machucar, ainda vai doer, riremos, tudo igual e de intensidade maior ou menor, mas teremos 276764893798462887 de lembranças parecidas, algumas pessoas vão embora e outras chegarão...
   Continuaremos sonhando e vivendo, dias iguais, promessas iguais, histórias, problemas, livros, dores, amigos.
   Mais uma década se inicia e espero vê-la chegar ao fim, mas sem a ilusão de que a outra acabou...ela só continua;
   E eu vou continuar mutante, porque só eu tenho direito de mudar nisso tudo, só eu tenho o direito de interferir no meu destino, só eu tenho o direito de escolher pra onde eu vou, só eu tenho...eu posso!
   E a minha continuação será magnifica, porque eu não morri no "Fim", eu estou aqui, continuando, no "inicio" dessa nova velha história.

:*