terça-feira, janeiro 11, 2011

Crônicas da tristeza.I

 Não se reconhecia, não sabia o que era.
 Não sabia se era toda dor, se era toda amor, se era tristeza, se era intensidade;
 Mas também não adiantaria muito, infeliz do jeito que estava nada importava, nada!


 As pessoas vão sugando o melhor que ela tem,
 a fé, a força, a alegria, as pessoas vão levando os sonhos e os que não levam fazem questão de destruir aos     poucos, frustrada e infeliz, essa é a definição dela nesse exato momento.

 Ela queria matar a todos, com requintes de crueldade, ela queria ver dor, ver vida se esvair, e se arrependia um minuto depois de ter pensado esse tipo de coisa.

Na verdade ela queria se livrar dessa hipocrisia que a cercava, queria se livrar do tipo de pessoa que só queria a energia que ela tinha, que só queria vê-la no chão.
Mas não conseguiram, saibam, ela está infeliz e frustrada, desiludida, passando de fase, mas não é isso que ela quer, não é isso que ela é,
Há cor no mundo em que ela vive.

Nenhum comentário:

Postar um comentário