sexta-feira, fevereiro 25, 2011


E o coração sempre um caco, porque nada mais há que feridas e amargura, igual a cristal, nada consegue colar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário