sexta-feira, março 04, 2011

Thiago.

Era 26 de março, e como todos os dias ela seguia sua rotina, ela pegou seu ônibus e sentou-se no lugar que costuma sentar-se.
Logo após ela estava uma garota belissíma, e nas cadeiras do lado esquerdo também, tadinha, com a auto-estima baixissíma que tinha se afundou na cadeira e começou a se maquiar, na tentativa desesperada de ficar um pouco melhor, soltou o cabelo, arrumou a roupa, no fim até se sentia melhor, ela estava sentada em frente a um dos vidros que ficam ao lado da porta do ônibus e sempre se olhava pra garantir que estava tudo impecável até que ele subiu, extremamente lindo e num ônibus quase vazio resolveu sentar-se ao lado dela, que boba, o observava sem saber que estava sendo observada, ela achava que aqueles olhares que ele dava ao vidro eram para aquela outra que ela podia ver pelo vidro, mas não eram.
Passadas algumas paradas o ônibus deu um freio muito forte e ele segurou-se na janela onde ela estava, praticamente a abraçava, seus olhos eram fixos um no outro e ele parecia ter algo a dizer, mas não disse, e ela sempre achando que seria impossível despertar interesse em fosse quem fosse, imagina naquele cara, lindo.
Depois que os animos se acalmaram ela viu um aparelho de celular aberto na página de mensagens de texto que dizia: "Você pode me dar seu telefone.?", ela não acreditava, mas deu seu telefone, ele disse seu nome e disse que tinha 20 anos, estava indo trabalhar e estava encantado com a beleza dela, disse também que ele ligaria mais tarde pra saber como ela estava e despediu-se com um beijo.
E ele ligou, mas ela não atendeu, não acreditava, e o encanto se desfez.
Talvez até que existam romances, mas nós ainda não estamos prontos.

2 comentários: