quinta-feira, julho 07, 2011

Despedida

Eu nunca fui muito boa em despedidas, mas vou versar já no fim da vida as dores que tenho a dizer.

Eu aqui quase canto essa dor que me sufoca,
dor de ter perdido amigos e a chave dessa porta
que me libertaria de todo o sofrimento que eu tanto me causei,
por ter escolhido o tormento para mim em todos os momentos.

Eu aqui me arrependo de tanta dor ter sentido,
por ter esquecido a vida,
por ter esquecido os amigos.
Que me ofereceram as mãos e quiseram me ajudar,
e eu assim tão cega dei de recusar.

Não sei como dizer, tudo o que eu sentia,
sei que essa dor hoje verso pra que se tenha alegria,
venho então dizer, agora, que vou-me embora,
que já sinto mais nada que seja da boca pra fora.

Me despeço aqui então, sem nada muito ter dito,
mas pelo menos pus pra fora de mim esse grito,
e agradeço a quem ouviu e talvez queira voltar,
pra me dizer um grave adeus, pra que eu nessa paz me vá.

2 comentários: